Nicette Bruno dá leveza e humor à mãe judia de Órfãos da Terra

Publicado há 2 anos
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quem acompanha Órfãos da Terra, atual cartaz das 18h na Rede Globo, seguramente se diverte com Esther, mãe do solteirão Abner (Marcelo Médici) na história criada e escrita por Thelma Guedes e Duca Rachid. Parte desse divertimento se deve ao trabalho irretocável de Nicette Bruno. Aliás, como de hábito.

Esther, o estereótipo da mãe judia

Esther deseja casar o filho com uma boça moça judia e assim
poder morrer em paz, na certeza de deixá-lo bem amparado. Junto do amigo Bóris
(Osmar Prado), ela teve a ideia de casar seu filho Abner com a jovem Sarah
(Verônica Debom), neta do senhor judeu. No entanto, já faz três anos que Sarah
caiu de amores pelo palestino Ali (Mouhamed Harfouch), neto de Mamede (Flávio
Migliaccio) e cujo casamento com a também palestina Latiffa (Luana Martau)
espera apenas maiores definições do rapaz para ocorrer.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O dia a dia de Abner vai de uma chantagem emocional da mãe a outra, de uma cena de namoro fingido com Sarah para enciumar Ali a outra. Tanto para Esther quanto para Bóris, o que realmente importa é que os dois solteiros se unam e prossigam com a tradição dos casais forjados entre membros e descendentes da colônia. Se eles se gostam ou desejam se casar, um com o outro ou não, isso já é de menor importância.

Através de Esther, Abner, Sarah e companhia, o alívio cômico da história dos refugiados de Órfãos da Terra

Embora seja interesseira e possessiva, Esther ajuda no alívio cômico necessário a uma narrativa de tônica densa como é a de Órfãos da Terra. O fato da família de Bóris e Sarah, que conta ainda com Eva (Betty Gofman), filha do primeiro e mãe da segunda, possuir uma floricultura faz os olhos de Esther brilharem. Na primeira parte da novela, passada três anos atrás, Bóris e ela tiveram a ideia de fazer com que Abner se aproximasse de Sarah trabalhando com ela no estabelecimento. Com efeito, seria também uma maneira de dar ao rapaz uma ocupação fixa, uma vez que ele ganhava a vida como fotógrafo ocasional junto do amigo Bruno (Rodrigo Simas). E os dois nem sempre eram bem pagos, ou sequer eram pagos, pelos trabalhos de cunho mais social e artístico do que lucrativo.

Esther ainda deve aprontar bastante para casar o filho em Órfãos da Terra

Abner já chantageou Sarah ao descobrir que ela se passava
por Maria e escondia a origem judia para ser aceita como namorada de Ali. Posteriormente,
os dois se tornaram grandes amigos e deixaram para trás a implicância de antes.
Abner se apaixonou por Sarah e até já se declarou para ela, pediu uma chance.
No entanto, ela segue tendo olhos apenas para o amado “proibido”. Em meio a
todo esse imbróglio, vejamos quais serão as próximas investidas de Esther para
encaminhar o filho de acordo com seu gosto.

Escalar Nicette Bruno é certeza de talento e sucesso para
uma personagem

Com toda a certeza, elogiar a veterana Nicette Bruno é chover no molhado, conforme diz o ditado. Embora já octogenária, a atriz segue com bastante vitalidade e desempenhando seu trabalho com destreza e dedicação. Só para ilustrar, seus dois papéis imediatamente anteriores à Esther de Órfãos da Terra foram Estela, mãe da professora Gabriela (Camila Morgado) em Malhação – Vidas Brasileiras, e a Elza, tia de Júlio (Thiago Martins) em Pega-pega (2017). Patrimônio do nosso cenário artístico, Nicette comprova na novela das 18h que escalá-la se comprova como acerto para autores e diretores. E para nós, telespectadores, é claro, que nos deleitamos com seu trabalho a cada nova oportunidade. Que Dona Esther ainda apronte muito das suas em sua cruzada para casar Abner.

*As informações e opiniões
expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou
não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio