Mesmo em novela cheia de qualidades, Vivianne Pasmanter consegue se sobressair

Publicado há 4 anos
Por Endrigo Annyston
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

São 27 anos de carreira na TV, desde uma participação em Rá-Tim-Bum como uma fada. Mas foi em Felicidade, de 1991, que Vivianne Pasmanter mostrou a que veio em sua estreia em novelas com a vilã Débora.

De lá para cá, Vivianne deixou claro, com diversos papéis malvados no currículo, sua capacidade de se renovar e cativar o público com todo o seu talento.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Malu Assunção, Laura Trajano, Maria João, Shirley Soares, quando a veterana contracenou inclusive com cobras, Liliane de Bocaiuva… e agora a impagável Germana Ferreira.

Se Vivianne Pasmanter não é apresentada como a intérprete da personagem de Novo Mundo, muita gente não a reconhece, e isso não ocorre somente em função da caracterização: são muitos os trejeitos adotados pela profissional para tornar Germana essa criatura única.

Ao lado de Guilherme Piva e Ingrid Guimarães, Vivianne forma um trio impagável, mas ela é sem sombra de dúvidas o ponto alto de toda a novela das 18h com as estripulias de seu papel, que se julga, como diríamos no dia a dia, “a cara da riqueza”.

E essa constatação é possível mesmo em um folhetim com muitas qualidades, seja em relação ao texto, elenco ou direção. Mais uma vez Vivianne Pasmanter é elogiada por seu talento, e faz por merecer.

A propósito, a já citada Laura vale ser revista na também excelente Por Amor, atualmente em reprise no Viva. A megera fez história ao pintar e bordar com a mocinha chatonilda Maria Eduarda (Gabriela Duarte).

Cheia de qualidades, Novo Mundo é a melhor novela em exibição

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio