Menosprezado pela Globo, Antonio Calmon deve ter o mesmo destino de Lauro César Muniz

Publicado há 4 anos
Por Endrigo Annyston
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em meados do ano passado, chamou atenção a notícia de que, finalmente, após quase dez anos longe das novelas, Antonio Calmon assinaria um folhetim, mesmo que em parceria.

Sem emplacar uma trama desde 2008 – Três Irmãs -, o novelista desenvolveria Barba Azul, prevista para 2018. O problema é que a direção de dramaturgia da Globo, leia-se Silvio de Abreu, abortou o projeto.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não é novidade, atualmente, a emissora carioca trabalhar com longas filas de espera para as faixas das 18h, 19h, 21h e 23h. Porém, no meio do percurso, foram muitos os cancelamentos, como o de O Homem Errado, que marcaria a estreia de Thelma Guedes e Duca Rachid às 21h30.

Em 2016, inclusive, os responsáveis pelo setor tiraram a autora Marcia Prates de Liberdade, Liberdade, com as gravações da obra perto do início. Para seu lugar, foi escalado Mário Teixeira. Apesar do contratempo, a produção foi sucesso de crítica e audiência.

O mesmo não é possível dizer sobre Três Irmãs, que não conquistou o gosto popular e recebeu comentários negativos ao longo de sua exibição. Depois, Calmon ainda emplacou Na Forma da Lei (2010), série que somente é lembrada como o último trabalho de Ana Paula Arósio na TV brasileira.

A continuar desse jeito, Antonio Calmon deve ficar sem contrato com a Globo, assim como ocorreu com Carlos Lombardi, que acabou assinando com a Record e fracassou com Pecado Mortal (2013).

Cabe lembrar, antes de mudar de canal, Lombardi teve a sinopse de João ao Cubo rejeitada pela rede da família Marinho. A história trataria sobre viagens no tempo a bordo de um trem.

Atualmente, Carlos não tem projeto em vista na Record, que interrompeu as contratações de novelistas após se firmar com atrações bíblicas. Da mesma forma, o SBT está focado em enredos infantis.

Ou seja, caso acabe dispensado pela Globo, o destino de Antonio Calmon pode ser continuar afastado dos holofotes.

Neste caso, faz mais sentido a comparação com Lauro César Muniz: afastado da Record, assinou com a Globo por apenas três meses, e depois a emissora desistiu de levar ao ar um folhetim assinado por ele. No momento, existem mais dúvidas que certezas sobre seu futuro na TV.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais