Melhor da Tarde parece perdido no tempo

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Principal estreia da Band em 2018 (e em muitos anos), o vespertino Melhor da Tarde, com Cátia Fonseca, vem enfrentando dificuldades em engrenar no Ibope. A atração patina no 1 ponto no Ibope, e chega a ficar atrás do Mulheres, programa que Cátia comandava na Gazeta. E a pouca adesão ao programa pode ser um indicativo de que Melhor da Tarde não dialoga com a atualidade e parece um programa da década retrasada.

Nos anos 1990, o sucesso do Note e Anote, de Ana Maria Braga na Record, fez surgir um sem-número de programas femininos pautados na culinária e artesanato. E Cátia Fonseca é cria desta época, tendo aparecido comandando o Pra Você, na Gazeta, e depois foi substituir justamente Ana Maria Braga no Note e Anote, até chegar ao Mulheres, onde ficou até o final do ano passado.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De lá para cá, os vespertinos cheios de conversa, forno e fogão foram ficando para trás. Inicialmente, vieram os programas de fofocas, na esteira do sucesso de Sonia Abrão e seu A Casa É Sua, nas tardes da RedeTV!. Depois, a “moda” passou a ser as revistas eletrônicas, a partir do sucesso do Hoje Em Dia, da Record. Assim, os femininos mais tradicionais foram ficando para trás. Até Ana Maria Braga, na Globo, teve que se reinventar para fazer seu Mais Você atravessar a década.

Leia também: Joanna Maranhão lamenta eliminação no Dancing Brasil: “Doeu Muito”

Os femininos mais tradicionais, voltados principalmente à mulher que assiste TV enquanto arruma a casa, ficaram relegados aos canais “menores”, com participação de audiência mais reduzida. Exemplos são o próprio Mulheres, na Gazeta, e o Santa Receita, de Claudete Troiano, na TV Aparecida, que conseguiram sobreviver apostando num nicho que existe, mas que já não mais forma a grande massa da audiência que assiste TV de tarde.

Resumindo: o mundo mudou, e a TV mudou também. Ao apostar num feminino tradicional como o Melhor da Tarde, a Band andou para trás. Horas de conversa, receitas e aulas de dança de axé soam um tanto antiquadas no dia de hoje, em plena era da informação. Melhor da Tarde, então, estreou envelhecido. A fórmula funcionava na Gazeta por se tratar de um canal de menor alcance. Já a Band é uma rede nacional de alcance amplo, e conversa com uma plateia heterogênea. Ou seja, para chamar a atenção nos dias de hoje, Melhor da Tarde terá que esquecer a mulher de ontem e mirar na mulher de hoje.

Leia também: Humor leve e tom teatral caracterizam Orgulho e Paixão

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio