MasterChef Profissionais termina com pouca repercussão

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na noite de ontem (11), a Band exibiu a final da terceira temporada de MasterChef Profissionais. Mas o que chamou a atenção mesmo foi o pouco barulho que esta safra do reality causou. Mesmo com uma final bastante propensa à repercussão, tendo em vista o favoritismo de William Peters diante de Rafael Gomes, o vencedor, a verdade é que este MasterChef passou em brancas nuvens.

A versão Profissionais do programa gastronômico da Band nunca causou tanto frisson como a versão com amadores. No entanto, a grife MasterChef é, ainda, o único produto relevante da programação da emissora. Além da sempre boa audiência, o MasterChef garantia muitas impressões nas redes sociais. O programa fazia barulho, repercutia. Hoje, ele ainda tem seu engajamento, mas não envolve mais tanto como antes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Rafael Gomes é o campeão do MasterChef Profissionais 2018

Sem dúvidas, a insistência da Band no formato é um dos motivos para que o MasterChef siga perdendo força. A emissora segue exibindo duas temporadas anuais, ambas enormes e praticamente coladas uma à outra. Não há um descanso da competição, que tende a ficar repetitiva. Mesmo com a variedade de participantes, a exibição em looping acaba expondo tal repetição. Isso enfraquece a produção.

No entanto, a Band ainda não pode se dar ao luxo de abrir mão do MasterChef. Trata-se do único programa de sua grade que, mesmo perdendo força, ainda é relevante na programação. A emissora fez uma série de lançamentos ao longo de 2018, mas nenhum deles se mostrou capaz de alçar a Band a um patamar mais elevado. Sendo assim, enquanto isso não acontecer, a emissora seguirá dependendo de MasterChef. Resta saber até quando o formato resistirá.

MasterChef teve final de folhetim

Se estivesse num bom momento, o MasterChef Profissionais explodiria neste episódio final. Isso porque a disputa pelo título ganhou cores maniqueístas com a batalha entre William Peters e Rafael Gomes. William, bem-humorado e com escolhas ousadas, caiu nas graças da torcida. Em contrapartida, o sisudo Rafael ganhou a antipatia de muitos.

Ou seja, a final do MasterChef contrapôs duas figuras opostas. Um prato cheio para fazer um novelão maniqueísta que costuma funcionar muito bem em reality shows. Ainda mais quando há um desfecho que não é muito usual nos folhetins, com a vitória do sério Rafael. Os fãs do programa chiaram nas redes sociais.

O trunfo do MasterChef é que, após tantas edições, o programa está afinadíssimo. Ana Paula Padrão e o trio de jurados Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella seguem competentes e as competições são magnéticas suficientes para prender a atenção do público. No entanto, a sensação de “mais do mesmo” prejudica o programa. É cada vez mais urgente a busca da Band por um novo carro-chefe. MasterChef não deve resistir por muito tempo mais.

Leia também: 17 anos depois da estreia do Vídeo Game, Globo enfrenta crise vespertina

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio