Marcos Mion resgata “auditório raiz” no novo Caldeirão

Programa valorizou o entretenimento e ficou mais divertido

Publicado em 4/9/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Apesar de ter mantido o nome e um dos quadros da antiga atração de Luciano Huck, o Caldeirão virou outro programa nas mãos de Marcos Mion. O novo apresentador das tardes de sábado da Globo não apenas imprimiu seu próprio estilo no show, como injetou uma boa dose de energia e animação no Caldeirão.

Com Mion no comando, o Caldeirão perdeu aquele ar assistencialista e “inspirador”, como gosta de classificar Huck, para se tornar um programa de auditório “raiz”. Ou seja, o que importa é a brincadeira pela brincadeira. Mion encarna a figura do animador e empolga seus convidados e a pequena plateia que ocupa o cenário. Com isso, o Caldeirão se tornou alto astral.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O fato de os quadros apresentados contarem com famosos como convidados ajuda a elevar a energia do palco. O Tem ou Não Tem com as presenças de Paulo Vieira e Juliana Paes ficou menos burocrático e se tornou um bom besteirol. Já o Sobe o Som, espécie de nova versão do Ding Dong do Faustão, resgatou o espírito do auditório mais clássico, que andava meio sumido da TV aberta.

Com as presenças de Tiago Leifert, Ana Furtado, Larissa Manoela e Ramon Amorim, Sobe o Som contou ainda com quatro atrações musicais. E mais: Lucio Mauro Filho e sua banda animaram o game. Ou seja, o palco estava cheio, e Mion o aproveitou como poucos. Falou groselha, colocou seus convidados para dançar e se divertiu.

Marcos Mion também levou sua marca registrada para o novo Caldeirão. O apresentador, que analisava clipes na MTV e se esbaldou no arquivo da Record TV com seu Legendários, agora faz o mesmo com a programação da nova casa com o Isso a Globo Mostra. Sempre divertido e espirituoso.

O novo Caldeirão não tem absolutamente nada de novo. No entanto, mostrou um espírito que andava meio sumido da TV aberta brasileira. A proliferação de formatos e a troca de animadores por mestres de cerimônia deixaram tudo meio pasteurizado. Marcos Mion, em seu novo programa, mostrou que o arroz com feijão bem temperado ainda tem seu valor. E mais: que cai muito bem no sábado à tarde.

E Mion mostrou estar tão à vontade em seu novo palco que a Globo, agora, criou um problema para ela mesma. O canal anunciou que o apresentador fica no programa até dezembro e, depois, rumará para o Multishow. No entanto, a julgar pela boa aceitação desta estreia, não será estranho se a direção da emissora mudar de ideia. Marcos Mion trouxe sangue novo e mais colorido à tela da Globo, e isso deve ser valorizado. Tirá-lo dali será um desperdício imperdoável.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio