Marcos Mion e Tiago Leifert são maiores do que o Caldeirão ou o BBB

Os apresentadores não dependem das atrações, pois levam seu carisma e talento para qualquer show sob seu comando

Publicado em 15/09/2021 15:21
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Bons programas e formatos vêm e vão. Apresentadores ficam. Tiago Leifert e Marcos Mion são talentos acima das atrações que eventualmente deixem de comandar.

Na faixa inicial dos seus 40 anos de idade, ambos estão no auge e se mantêm no topo em suas trajetórias. Tanto Marcos Mion quanto Tiago Leifert foram reconhecidos ainda jovens à frente de atrações que eram fracas e cresceram com eles.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Marcos Mion, com seu background de ator, fez parte da segunda geração de ouro da MTV Brasil (dos tempos em que pertencia ao Grupo Abril) que, nos anos seguintes, ainda nos daria talentos como Marcelo Adnet, Tatá Werneck e Dani Calabresa, só para citar alguns nomes da comédia.

No ano 2000, ele já apareceu como melhor apresentador de televisão (ganhou naquele ano troféu da APCA), quando atraía os jovens para o seu hilário e inovador Piores Clipes do Mundo.  

Uma geração inteira de audiência de televisão aprendeu a ter um olhar mais crítico para os videoclipes e para todas as produções de televisão a partir de suas tiradas, quase sempre muito oportunas.

Desde que saiu da emissora musical voltada ao público jovem, Marcos Mion trilhou caminho por outras grandes redes (Band e Record), firmando-se à frente de atrações, seja no palco diante de um auditório, seja ao vivo em reality show (A Fazenda 12).

Titi

Tiago Leifert (Globo/Divulgação)

Tiago Leifert se construiu a partir do jornalismo. Sob seu comando, o Globo Esporte saiu de uma linguagem antiquada para conversar com a juventude na hora do almoço.

Claro, ele também ganhou seu prêmio de melhor apresentadora do ano pela APCA (2009). Coincidências?

Sua guinada para a linha de shows da TV Globo foi uma bela jogada – algo que Pedro Bial e Fátima Bernardes também conseguiram, com muito sucesso.

Desde então, Tiago Leifert ascendeu às atrações de entretenimento, conduziu um novo formato (The Voice Brasil) na emissora e cresceu ao longo de algumas edições do BBB.

De quebra, ele ampliou sua presença nos intervalos de publicidade, aumentando suas possibilidades de ganhos.

A paixão pelo esporte se manteve, com sua migração para os e-sports, os videogames, outro filão em escalada vertiginosa no mercado.

O BBB, grande produto da linha de entretenimento do primeiro semestre do ano para a Globo, depende de outros fatores para ser bem-sucedido que não somente o apresentador, e o maior deles é a escolha do elenco.

Não há no mundo apresentador que segure a onda de um reality 24h por dia, sete dias por semana, se os participantes não tiverem apelo.

Não por acaso, a competente equipe de Boninho passa o ano escolhendo o time de participantes que possam gerar boas histórias — e também muitos conflitos — dentro do programa.

O apresentador é importante, claro. Mas pode ser qualquer um que saiba levar uma conversa com os Brothers e redigir bons discursos de eliminação para decolar no comando do reality.  

Tiago Leifert acaba de pedir demissão, aparentemente num acordo amistoso com a Globo, que lhe deixaria as portas abertas caso pretenda voltar no futuro. 

Independentemente dos motivos pessoais de sua saída, ela se dá pela porta da frente, ao que tudo indica.

Tiago Leifert sai da Globo levando consigo toda uma história bem sucedida. Seja pela audiência, seja pelos laços positivos que tem no mercado publicitário, para onde quer que ele vá, terá parcerias de grande valor.

Mionzera

Marcos Mion no Encontro (Reprodução/TV Globo).

Marcos Mion, que está chamando muito a atenção e tendo audiência aos sábados com o Caldeirão, tampouco depende desse programa pra continuar a fazer sucesso.

Caso realmente a Globo mude o apresentador de lugar, o que não parece até aqui uma boa decisão, ele leva consigo o carisma e talento capazes de subir audiência até de formatos envelhecidos de forma precoce.

Basta ver como ele conduziu o tal Ding Dong (que virou o Tem ou Não Tem no Caldeirão).

Venha o que vier, Marcos Mion e Tiago Leifert já estão maiores do que qualquer BBB ou Caldeirão.

** Informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de sua autora e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio