Lázaro Ramos é o “Super-homem” da vida real e representa como ninguém o nosso povo

Publicado há 3 anos
Por André Romano
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nas últimas semanas, as redes sociais entraram em um verdadeiro “frenesi” ao ver uma foto do apresentador Rodrigo Hilbert, construindo uma casa na árvore para os seus filhos. Em instantes, o marido de Fernanda Lima foi alçado ao título de “o homem perfeito” ou de “Super-homem”. Até propaganda (da marca iFood) encima disso o rapaz protagonizou. Além de Rodrigo, que é um shopping center em pessoa, não podemos esquecer de Lázaro Ramos, um cara que tem o DNA do povo brasileiro. Ele é aquele tipo que cai sete vezes, e se levanta oito. Literalmente um baiano arretado.

Leia também: SBT “entope” noite de sábado com realities de culinária

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sempre fui admirador de Lázaro em todos os quesitos: como artista, pai, produtor, escritor, e como pessoa, sim, como pessoa. A gente conhece o artista quando o holofote é desligado. É nesse momento que eu posso dizer, que Lázaro, é o mesmo. Ri junto, integra a todos. Creio que isso é uma missão que Deus deu para ele. E isso ele faz como ninguém em seu livro Na Minha Pele, que mostra que somos aquilo o que queremos ser.

Ramos é um artista que representa como ninguém aquele trabalhador que acorda às 5 horas da matina, para garantir o pão de cada dia de sua família, representa aquela senhora com a mão calejada, que vai passar roupas para a madame, (mas sempre com o sorriso no rosto), representa aquela criança negra que não se encaixa no meio social, (afinal há quem diga que escolas particulares são lugares para brancos), representa aquele rapaz que vende chiclete no sinal, mas que sonha com um trabalho que o traga estabilidade, pois nenhum trabalho é indigno, representa a todos nós brasileiros que sonhamos com um país mais justo. Enfim, o objetivo desse texto é para dizer que todos somos heróis, matamos um mamute por dia, nada é fácil. Resumindo, ninguém  é perfeito! Lázaro, obrigado por nos representar.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais