Jornal Nacional celebra 46 anos sem muito o que comemorar

Publicado há 5 anos
Por Neuber Fischer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Jornal Nacional, telejornal mais assistido pelo telespectador brasileiro, celebrou na noite desta terça-feira (01) 46 anos no ar. Com baixa audiência, menos prestígio e qualidade jornalística, o noticiário não tem muito o que comemorar. O JN mudou ao longo dos anos e se tornou informal, descontraído, moderno, mas o que poderia ser positivo, foi negativo, deixando em evidência muito mais as gracinhas dos apresentadores e repórteres do que o conteúdo jornalístico em si. Mas ainda sim, comparado aos telejornais de outras emissoras da TV aberta, o Jornal Nacional apresenta material melhor do que os concorrentes, o que de certa maneira não é grande vantagem.

Mesmo assim, os atuais âncoras do JN, William Bonner e Renata Vasconcellos comemoraram o aniversário de 46 anos do Jornal Nacional. Os dois sopraram velinhas em um cupcake. A imagem foi publicada no perfil oficial do telejornal global no Facebook. O bolo pequeno representa, ainda que sem querer, o quão diminuto tem se tornado o Jornal Nacional.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Jornal Nacional entrou no ar no dia 1º de setembro de 1969. Passaram pela bancada profissionais consagrados como Cid Moreira, Sérgio Chapelin, Lilian Witte Fibe, Fátima Bernardes, Patrícia Poeta, Valeria Monteiro, Marcos Hummel, entre outros.

De acordo com dados publicados pelo colunista Ricardo Feltrin, a audiência do Jornal Nacional, que era de 35,8 pontos na Grande São Paulo, em 2005. Dez anos depois, em 2015 a média foi de cerca de 23 pontos. Uma queda bastante acentuada, que se verifica não apenas no JN, mas em toda a programação da Globo e da televisão brasileira.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio