Há 20 anos na TV, Amanda Françozo constrói uma digna carreira

Publicado em 09/06/2017

Há artistas de TV carismáticos e talentosos, mas que, por uma série de motivos, não emplacam numa grande emissora de televisão. Entretanto, mesmo um tanto mais “escondidinhos”, conseguem construir uma carreira digna. Amanda Françozo, apresentadora do Papo Vip, na Rede Brasil, é um destes casos. Bonita, simpática, inteligente e muito bem articulada, a apresentadora completa 20 anos de TV, quase todos eles em emissoras consideradas menores, mas sempre com desempenho exemplar.

Amanda estreou em 1997, no Fantasia, do SBT. Começou como dançarina, até passar num teste para apresentadora e ingressar no time de comandantes do game show. Com o fim da atração, passou pelo Tentação e pelo sorteio da Tele Sena, até migrar para a CNT/Gazeta, onde apresentou o Geração Country. De lá, foi para a Record, onde comandou o Rodeio Mania, foi repórter do Note e Anote e teve programas na Record Internacional. Depois, passou pela Gazeta, onde apresentou o Bastidores da Fama, e pela RedeTV!, onde esteve à frente do Bom Dia Mulher. Em nova passagem pela Gazeta, foi repórter e apresentadora substituta dos programas da grade e, depois, comandou o Papo de Amigos. Voltou à Record, à frente da edição de final de semana do Hoje Em Dia, da quinta temporada do Troca de Família e de programas da Record News. Em 2014 chegou à Rede Brasil, onde está até hoje.

Atualmente, Amanda comanda o programa Papo Vip na emissora UHF de São Paulo, atração exibida ao vivo nas noites de segunda-feira, a partir das 21 horas. O programa segue os moldes do Papo de Amigos, da Gazeta, e é um espaço para entrevistas diversas. Num sofá, Amanda recebe personalidades de várias áreas, onde toca bate-papos interessantes e despretensiosos. Também recebe atrações musicais diversas, grande parte sem espaço nos grandes canais. A apresentadora também recebe, sempre, um chef de cozinha, que faz um prato para o jantar de Amanda e seus convidados.

Papo Vip é um programa simples, mas bastante simpático. E boa parte desta simpatia se deve, justamente, à apresentadora, que o toca com muita destreza e segurança. Em todos estes anos na TV, Amanda conquistou uma confiança diante da câmera muito evidente, e sabe bem falar ao público sem parecer forçada. Pelo seu talento, até caberia dizer que ela merecia estar numa emissora maior. Entretanto, ela acaba sendo um daqueles casos em que se destaca por si mesma. Afinal, manter-se na televisão por 20 anos não é para qualquer um. Amanda tem o espaço dela.

Leia também:

Sem concorrência, Zorra e Altas Horas “surfam” na audiência

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.