Globo aposta em auditório na linha de shows, mas programas não decolam

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A linha de shows da Globo nunca esteve tão variada. O horário após a novela das nove já sofreu com o excesso de dramaturgia, com muitas séries enfileiradas. Porém, em 2018, dois programas de auditório dividem as noites de terça e quinta com os já tradicionais seriados. Amor & Sexo e Os Melhores Anos das Nossas Vidas são as atuais apostas da emissora, mas os resultados de audiência não têm sido dos melhores.

Amor & Sexo vem registrando a pior audiência desde sua estreia, em 2009. O programa de Fernanda Lima, de uns tempos para cá, vem explorando pautas cada vez mais liberais, levantando bandeiras e promovendo importantes discussões. Este pode ser um dos problemas para que a atração não tenha decolado este ano. Há uma onda conservadora no ar, que pode ter afetado negativamente o debate comportamental de Fernanda Lima.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Amor & Sexo tenta atrair público conservador, mas amarga pior audiência da história

No entanto, este não é o único ponto. Amor & Sexo já vem promovendo tais debates há alguns anos. Assim, ele tende a repetir assuntos e ficar mais redundante. Apesar da importância dos temas discutidos, ainda mais numa TV aberta, é evidente que a fórmula enfrenta sinais de desgaste. Além disso, os temas exigem um tom mais didático para se fazer entender. E didatismo àquela hora da noite pode ser um convite ao sono para muitos.

Mas vale lembrar que Amor & Sexo nunca foi um grande campeão de audiência. A atração sobreviveu estes anos todos mais por causa de sua relevância e repercussão do que pelo ibope em si. Entretanto, a queda de audiência observada nesta temporada deve servir para evidenciar a necessidade de nova reformulação. A emissora poderia repensar o formato. Mas não devia considerar abandoná-lo. Mais do que nunca, um programa sem pudores como o Amor & Sexo se faz necessário.

Os Melhores Anos das Nossas Vidas enfrenta forte concorrência

Assim como Fernanda Lima, Lázaro Ramos também vem tendo dificuldades em emplacar seu game Os Melhores Anos das Nossas Vidas. Apesar de muito divertido, o programa tem duas dificuldades principais. E elas atendem pelos nomes de A Fazenda, da RecordTV, e A Praça É Nossa, do SBT. Dois concorrentes pesos-pesados, com os quais o programa saudosista da Globo briga ponto a ponto.

Os Melhores Anos das Nossas Vidas é um programa diferente e simpático. Mas é um dos casos clássicos de estar no lugar errado e na hora errada. O formato caberia num horário mais acessível, já que tem um apelo familiar evidente. Na faixa em que vai ao ar, Os Melhores Anos das Nossas Vidas não tem fôlego para se posicionar muito além da concorrência. A atração deveria ser exibida mais cedo, ou aos finais de semana.

É bastante importante a variedade da linha de shows da Globo. O aumento do número de programas de auditório noturnos é uma maneira de diversificar. Mas o canal ainda não encontrou exatamente o que seu público do horário quer ver. No entanto, as experimentações são sempre válidas.

Leia também: RecordTV acerta nos planos de entregar novo formato à Xuxa

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio