Friends the Reunion: tem coisas que é melhor deixar só no passado

Especial com elenco do seriado marca chegada de novo HBOMax, em 29 de junho

Publicado em 24/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sabe quando você procura e acha na rede social os amigos da escola que não vê há muito tempo e todos marcam uma reunião ao vivo? É aquela alegria do reencontro, seguida em muitos casos por uma sensação de que tem coisa que é melhor ficar apenas no passado. Pois é esta a sensação de quem assiste a este Friends The Reunion, que a HBOMax preparou para seu lançamento no Brasil, em 29 de junho. A coluna já assistiu ao especial.

Friends, o seriado, terminou há 17 anos, depois de ter ficado dez anos no ar (1994-2004). Como por aqui até o ano 2000 a série só chegava via TV por assinatura (no Warner Channel), que atingia à época poucos lares, ela começou a ter maior público quando estreou na TV aberta – primeiro na RedeTV! e depois no SBT. Isto multiplicou o número de fãs que conheceram o seriado após o seu final; atualmente, todos os atores já passaram dos 50 anos de idade.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mas esse reencontro é muito menor do que se espera, sob o ponto de vista artístico. Primeiramente, é preciso levar em conta que, quando a série chegou ao fim, cada um dos atores que vivem os seis amigos de Friends embolsava nada menos do que US$ 1 milhão por episódio. Ou seja, todos saíram muito ricos daquela jornada sobre amigos que dividem apartamento.

Alguns como Jennifer Aniston (muito bem-sucedida fora do seriado) e Matt Le Blanc (que até ganhou uma série só sua, Joey, com duas temporadas), seguiram bem em carreira solo. Outros, como Matthew Perry, optaram por uma vida de retiro.

Mas nada poderia resistir a uma oferta irrecusável para este retorno. De acordo com a publicação estadunidense Variety, o cachê de cada um deles para esta reunião foi de nada menos do que US$ 2,5 milhões – mais participação em lucros, pois eles entraram também como coprodutores do especial, numa negociação que começou lá em 2019.

A vida como ela é

Toda essa introdução foi para lembrar aos fãs mais ardorosos: tudo é uma questão de dinheiro. O especial é totalmente caça-níqueis. Não se trata de um novo episódio de ficção; ninguém ali revive seu personagem. A linha foi não mexer na história, por mais que o admirador da série alimente o desejo de que as aventuras possam em algum momento ser recriadas.

Nesta indústria nem sempre é viável mexer numa propriedade original, que segue sendo oferecida nos serviços de streaming, multiplicando os direitos autorais para seus criadores.

Neste Friends The Reunion, os atores vivem a si mesmos. Soa muito, muito forçada a visita “inesperada” ao set das filmagens, com os mesmos objetos de cena que existiam há quase 30 anos. Os atores se emocionam vendo aas peças, com risos e choros. Eles fingem uma falsa surpresa com o reencontro – mas nós sabemos que todo mundo vive se encontrando em Hollywood, as revistas sempre mostram!

Igualmente, é inevitável fazer as comparações sobre a passagem do tempo para homens e mulheres da série. Jennifer Aniston (Rachel), Courtney Cox (Monica) e Lisa Kudrow (Phoebe) seguem muito parecidas com suas personas de tanto anos atrás.

Do lado dos homens, as marcas naturais do tempo se fizeram mais visíveis em Matt LeBlanc (Joey) – que segue extremamente simpático — e principalmente Matthew Perry (Chandler). David Schwimmer (Ross) também parece meio congelado fisicamente naquele tempo.

A filmagem foi no palco original da comédia desde sua segunda temporada, o Stage 24, no estúdio Warner Bros., em Burbank, na Califórnia. Lá os atores fazem um quiz, espécie de teste de conhecimentos, lembrando-se de fatos antigos e curiosidades dos episódios. A produção também conta com a presença de convidados especiais como Tom Selleck, além de lembrar com imagens de arquivo os famosos que fizeram participação especial, como Reese Witherspoon e Brad Pitt, entre outros. Tudo tem muito ar de festa de reencontro da firma.

Talk-show

Além do reencontro nos cenários, vemos uma conversa tipo talk-show com plateia e um entrevistador, James Corden, e onde há deixa para mais alguns convidados, como Cindy Crawford e Cara Delevingne. Tem depoimentos dos roteiristas originais da série e, numa forma de se mostrar a internacionalização da série, gravaram até com a paquistanesa Malala Yousafzai, prêmio Nobel da Paz de 2018, numa referência à importância da amizade entre as pessoas!

O talk-show se passa diante da fonte icônica da abertura do seriado. Como esse tinha tudo para ser o momento mais espontâneo do especial, esperava-se ali pelo menos alguma revelação bombástica. Timidamente e sem convencer ninguém, Jennifer Aniston e David Schwimmer dizem que chegaram a ser “crush” um do outro na primeira temporada, num flerte que nunca foi adiante.

Seja como for, este especial de quase duas horas de duração serve mesmo para deixar saudades mais de nós mesmos, relembrando nossas emoções da época diante dos episódios. É nostalgia que fala!

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de sua autora e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio