Fraca, Haja Coração é um festival de cenas desconexas

A novela de Daniel Ortiz é uma sucessão de esquetes

Publicado há 8 dias
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Remake de Sassaricando, Haja Coração rendeu bons índices de audiência para a Globo em 2016. E a edição especial, que atualmente ocupa o horário das sete, também mantém o canal no trilho. Ou seja, é uma trama que agrada o público da faixa. O tom de comédia romântica funciona.

No entanto, a trama de Daniel Ortiz tem muitas falhas. A principal delas é que Haja Coração não parece contar uma história. Há várias tramas sendo desenroladas ao mesmo tempo, mas não há uma unidade narrativa. No ar, a novela parece uma sucessão de esquetes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O fato de a história principal não ter grandes atrativos reforça esta impressão. O triângulo amoroso entre Tancinha (Mariana Ximenes), Apolo (Malvino Salvador) e Beto (João Baldasserini) é uma ciranda sem grandes arroubos de criatividade. Enquanto os dois primeiros estão sempre às voltas com rompimentos e reconciliações, o último arma para separá-los e ficar com a mocinha.

Paralelamente, há a história de Aparício Varela (Alexandre Borges), que tenta se acertar com Rebeca (Malu Mader). Esta, por sua vez, mora com Penélope (Carolina Ferraz) e Leonora (Ellen Rocche), com as quais protagoniza cenas cômicas nonsense. São tramas curtas, que duram poucos capítulos, e que não levam a trama para lugar nenhum.

Haja Coração traz ainda outros tantos casais vivendo seus encontros e desencontros. Camila (Agatha Moreira) e Giovanni (Jayme Matarazzo) vivem um romance estranho, afetado pela memória desta e pela advogada do mal Bruna (Fernanda Vasconcellos). Enquanto isso, Leozinho (Gabriel Godoy) vive o dilema: ama Fedora (Tatá Werneck), mas quer matá-la.

Em meio a tudo isso, o destaque fica por conta de Shirlei (Sabrina Petraglia) e Felipe (Marcos Pitombo), o casal romântico que mais agradou o público de Haja Coração. É um romance clássico, que envolve classes sociais diferentes e armações de uma ex-namorada megera.

Como em qualquer novela, Haja Coração conta com várias tramas paralelas. Mas, ao contrário de uma novela tradicional, as conexões entre as tramas são frágeis. Elas não se comunicam umas com as outras. Assim, o que acontece num núcleo não tem qualquer consequência em outro. Não fazem parte de uma mesma história, são apenas histórias diversas contadas ao mesmo tempo.

Haja Coração tem um texto simples, meloso e popular que consegue manter o interesse do público. Porém, seria mais interessante se houvesse uma maior harmonia entre as tramas dos personagens. Deste jeito, não há uma história sendo contada.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio