Exathlon Brasil só iria passar despercebido, mas final faz programa virar vergonha histórica

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Comprado em agosto, depois da prometida segunda temporada do X Factor Brasil ter sido cancelada, mesmo depois de ter sido anunciada, o Exathlon Brasil não teve uma trajetória de muito sucesso na Band.

Exibido diariamente, desde setembro, na faixa das 20h30, teve denuncias de problemas em seu início, com denúncias de que a produção do programa chegava a passar muita fome.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Band vai demitir produtores que brigaram na redação do Café com Jornal desta sexta

Tudo isso acontecia por causa da dona do formato, que parecia dar condições insalubres de trabalho para todos. Mas ao que parece, depois das notícias virem para a imprensa, tudo se ajeitou.

Com Luís Ernesto Lacombe no comando, experiente jornalista d aGlobo, a atração tentava ter um pouco de dignidade e iria terminar apenas de forma branda, sem chamar a atenção. Sem feder, nem cheirar.

Mas veio o seu episódio final, num caso totalmente sem precedente na história da televisão brasileira – pelo menos eu não me recordo de algo nesse sentido. Uma vergonha enorme.

Segundo o colega Maurício Stycer, Lacombe deixou a atração e não fez o último programa. O dono da produtora do Exathlon, o turco Acun Ilicali, assumiu e fez a final entre Pedro Scooby e Marcel Strumer.

Luís Ernesto Lacombe, apresentador do Exathlon Brasil (Reprodução/Band)

Acun queria esticar o Exathlon Brasil até fevereiro, mas Lacombe não topou. Reclamou do turco na frente de todos e saiu. Outros episódios ocorreram, e coube a Acun ter de fazer o que vimos essa noite.

E o que vimos nesta noite foi constrangedor. Falado totalmente em inglês, Acun teve tradução legendada de sua fala, e tradução simultânea ao mesmo tempo. Um desencontro bizarro.

A tradução com locutor era feia. A legenda em português era mais feia ainda. Nem um canal vagabundo de TV paga faria algo tão amador. Não sei como alguém na Band aprovou isso ir ao ar.

O pior é a nota oficial da emissora, dizendo que Acun “fez questão de participar da bem sucedida versão brasileira”. Primeiro: bem sucedida pra quem? 2,5 pontos é sucesso? Jamais.

Segundo: como um dono de produtora “faz questão” de fazer logo a final da atração? Isso não é coisa de programa bem sucedido, é coisa de programa fracassado e absolutamente amador.

Numa noite inesquecível, o Exathlon Brasil iria apenas passar despercebido. Entrar no ar e sair sem ninguém ligar. Mas sua última impressão fez ele entrar na história da TV como uma vergonha da TV brasileira. A Band precisa se rever para 2018. Permitir o que houve hoje foi o fim da picada.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio