Espelho da Vida: Letícia Persiles brilha em nova parceria com Beth Jhin

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Letícia Persiles é o que se chama de “atriz bissexta”. Desde que foi revelada, na microssérie Capitu, em 2008, a artista esteve em poucas novelas. No lançamento de Além do Tempo, novela de 2015 da qual participou, ela foi perguntada sobre isso. E respondeu que não se tratava de uma escolha dela. Sua ausência acontecia simplesmente por falta de convites mesmo.

No entanto, atualmente, Letícia vive uma situação atípica. Ela emplaca sua segunda novela das seis seguida. Depois de dar vida à sofrida Amélia, em Orgulho e Paixão, ela reapareceu em sua sucessora, Espelho da Vida. Na atual trama das seis, ela dá vida a dois personagens: Maristela, no “núcleo do passado”; e Doutora Letícia, no “núcleo do presente”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: “Não esperava que fosse fazer os dois”, afirma Nikolas Antunes sobre interpretar Marcelo e Lucas em Espelho da Vida

Com as novas personagens, Letícia Persiles repete a parceria com a autora Elizabeth Jhin. A atriz estreou em novelas no ano de 2012, vivendo a mocinha Miriam de Amor Eterno Amor. A dobradinha deu certo e foi repetida na novela seguinte de Jhin, Além do Tempo, na qual foi Anita, melhor amiga da mocinha Lívia (Alinne Moraes). No entanto, como ela esteve no elenco de Orgulho e Paixão, parecia que, desta vez, a parceria não se repetiria. Mas Elizabeth Jhin sacou da cartola as novas personagens, que entraram na trama mais adiante, e foi possível retomar a dupla vitoriosa.

Dobradinha vitoriosa

O encontro entre Elizabeth Jhin e Letícia Persiles foi bastante feliz. Afinal, Letícia é uma ótima atriz, talentosa e bastante carismática. Tanto que foi aplaudida pela crítica quando foi lançada em Capitu. Mas, estranhamente, ela foi pouco lembrada pelos autores e diretores para novelas depois disso. O canal repete várias atrizes rotineiramente, mas aciona muito pouco tantas outras, como Letícia.

Assim, ao menos, ela se tornou figurinha carimbada das novelas de Elizabeth Jhin. E corresponde à altura, sempre competente defendendo as personagens escritas pela autora. Orgulho e Paixão, de Marcos Bernstein, foi um ponto fora da curva na carreira da atriz. Mas é bom ver que ela pode ser lembrada, também, por outros autores e diretores.

Leia também: Ao substituir Xuxa, Marcos Mion mostra que merece mais espaço

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais