Em pré-estreia, Big Brother Brasil tenta surpreender

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Chegando à sua 18ª edição, o Big Brother Brasil já não tem muito mais o que fazer para surpreender seu público. Mas, mesmo assim, a direção do principal reality show da televisão brasileira não mede esforços para trazer alguma novidade ao programa. Na estreia de ontem (22), mais uma vez, a atração fez uso de uma pré-estreia, que serve apenas como um “esquenta” para o jogo e gerar expectativa.

No ano passado, além da presença de Tiago Leifert, o BBB teve como novidade a entrada de duas duplas de gêmeos, duas mulheres e dois homens. A pré-estreia de 2017 apresentou os quatro novos personagens e convocou o público para escolher um homem e uma mulher que prosseguiriam no jogo. Apenas no dia seguinte, é que os demais participantes entraram e o programa realmente começou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Este ano, ao invés dos gêmeos, o BBB aposta numa família completa. A família Lima, composta pelo pai Ayrton, pela mãe Eva, pela filha Ana Clara e pelo sobrinho Jorge, entrou na nova casa do reality e foi apresentado ao público, que terá que escolher dois deles para permanecer no jogo. A dupla remanescente funcionará como um único jogador, ou seja, os integrantes da família Lima que ficarem terão que votar juntos, dividir liderança e ir aos paredões sempre juntos. Ou seja, no mesmo esquema da participação de Pepê & Neném em A Fazenda, da Record.

No BBB 2017, o fato de o público ter escolhido um de cada uma das duplas de gêmeos para permanecer no programa não influiu em nada no andamento do programa. Foi um novo artifício, apenas na intenção de gerar alguma novidade e sem resultados práticos. Se a participação de uma família seguirá o mesmo rumo, ou vai trazer de fato algo novo ao jogo, só o tempo vai dizer. Mas a ideia de tentar buscar algo diferente é válida. Até porque, na prática, um BBB é bom ou ruim não pelas mudanças nas regras ou na dinâmica do jogo, e sim pelo elenco. Se houver a famigerada “química” entre os participantes, o jogo emplaca. Se não, empaca. E isso só se descobre mesmo quando a coisa começa.

Por enquanto, o que se pode afirmar é que Tiago Leifert já está em casa no comando da atração. Seguro, com jogo de cintura e muita simpatia, o apresentador foi uma excelente escolha para substituir Pedro Bial na complicada missão de comandar a tal “nave louca”. Tiago já imprimiu um estilo próprio e deixou a apresentação do BBB a sua cara. No mais, é acompanhar a entrada dos novos participantes para ver se a nova mistura vai prometer. A conferir.

No comando do Power Couple, Gugu terá a chance de se reinventar na TV

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio