Domingo Espetacular: 15 anos no ar e a necessidade de se reinventar

Publicado há 2 anos
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Domingo Espetacular completou 15 anos de sua estreia no dia 18 de abril. Quando lançado em 2004, era apresentado pelo trio formado por Celso Freitas, Lorena Calábria e Otaviano Costa. A escolha dos apresentadores ocorreu em virtude da intenção de atrair espectadores habituados aos programas de auditório do fim de semana e também os interessados em jornalismo.

O “Fantástico da Record TV”, chamado por algum tempo antes da estreia de Domingo Total, desde o começo cumpriu justamente a função de ser uma revista eletrônica dominical, a exemplo do Show da Vida. E sempre teve parte de seu tempo no ar antes que a Rede Globo colocasse o Fantástico no ar, justamente para pegar um público que não queria esperar o final do Domingão do Faustão. Exibido no início da noite, sem embate direto com o Fantástico inicialmente, sua intenção era “esfriar” o jornalístico global, uma vez que entrou no ar antes com muito do mesmo conteúdo. Só para exemplificar, foi uma das estratégias da fase “A caminho da liderança” empreendida pela Record TV na década passada, a despeito dos agora quase 46 anos de tradição do concorrente. Já foram conferidos ao Domingo Espetacular, a saber, prêmios importantes como Esso, Embratel e Tim Lopes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mudanças para breve na reformulação prometida para o Domingo Espetacular

A Record TV decidiu fazer algumas mudanças na fórmula do Domingo Espetacular, para mantê-lo atraente e competitivo após esses 15 anos. Uma das medidas a serem tomadas é o afastamento provável de todos os atuais apresentadores, até mesmo de Paulo Henrique Amorim. O jornalista do bordão “Olá, tudo bem?”, antigo editor e comentarista de economia da Rede Globo e que também foi âncora do Jornal da Band nos anos 1990, está desde 2006 na apresentação do jornalístico dominical. Seu vínculo com a emissora vai até 2021.

Thalita Oliveira e Patrícia Costa, a primeira próxima da saída em licença-maternidade e a segunda voltando da sua, também podem deixar de compor o grupo de apresentadores. Eduardo Ribeiro, que passa a integrar o grupo que conta ainda com Janine Borba, deve ser o substituto de Paulo Henrique. De 2004 até aí, a atração sempre teve três pessoas no comando. Além de Celso, Lorena e Otaviano, também já passaram pelo programa Adriana Araújo, Carla Cecato, Fabiana Scaranzi e Tina Roma.

Prós e contras do Domingo Espetacular

Ainda que de modo geral a fórmula das revistas eletrônicas, e das dominicais mais ainda, acabe lembrando a do Fantástico em alguma medida, o Domingo Espetacular consegue ter alguma personalidade própria. Seja na forma de apresentar as matérias, seja num enfoque diferenciado em relação ao padrão global, fato é que nesses 15 anos o programa conquistou um público cativo.

Só para ilustrar, no programa deste domingo, 21 de abril, será apresentada uma reportagem sobre depressão, suscitada por declarações do youtuber Whindersson Nunes, que estaria sofrendo desse mal. Esse “estar em cima dos acontecimentos”, habitual no Fantástico, tem na equipe de jornalismo da Record TV um correspondente competitivo.

No entanto, assim como há pontos dignos de elogio, há problemas. Um deles é a excessiva duração do programa, que hoje chega perto das quatro horas no ar. O Fantástico, maior referencial pela semelhança e por ir ao ar no mesmo dia, gira sempre em torno de duas horas ou pouco mais do que isso. Com toda a certeza, se faz necessário o poder de concisão.

Um mergulho maior no jornalismo como resgate da função do programa

O uso desmedido de vídeos da internet, numa tentativa de fazer frente a rivais como o humorístico Encrenca, da Rede TV!, é outro problema. No entanto, por mais descontraído que se possa ser, e até preciso para desanuviar ante as matérias que tratam de corrupção, violência e mazelas sociais, jornalistas sérios como Paulo Henrique narrando vídeos com brincadeiras de bebês ou pets é desnecessário. Com efeito, é uma consequência de uma mudança de perfil que ocorreu ao longo dos anos. Eminentemente jornalístico em seus primeiros tempos, o Domingo Espetacular passou a apostar ainda mais no entretenimento. Até para justificar e suprir sua longa duração, e aí voltamos ao ponto de partida.

Conforme sejam feitos alguns ajustes de orientação e duração, a revista eletrônica de jornalismo e entretenimento da Record TV poderá ainda sobreviver por muito tempo, num dia tão disputado na televisão brasileira.

*As informações e opiniões
expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou
não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio