Dira Paes se destacou em Verão 90; mas poderia ter se destacado ainda mais

Publicado há um ano
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Verão 90 chega ao fim nesta sexta-feira e deixa saudade em vários telespectadores. Nas redes sociais, por exemplo, não são poucos os comentários favoráveis a uma novela despretensiosa, engraçada e leve. Dira Paes teve aqui um papel de destaque, na pele de Janaína Guerreiro, a mãe dos protagonistas masculinos, Jerônimo (Jesuíta Barbosa) e João (Rafael Vitti). Embora a rica convencional do enredo fosse Totia Meireles como Mercedes Ferreira Lima e para Cláudia Raia tenha sido criada Lidiane (ou Lidi Pantera), personagem sob medida para ela, Janaína no começo era bastante promissora. Uma espécie de protagonista moral da história dos irmãos Guerreiro e da paixão de ambos, Manuzita (Isabelle Drummond).

Onde Janaína se perdeu e não deixou muito para Dira Paes
salvar com seu talento?

E por que “era” bastante promissora? Aquela supermãe, batalhadora e decidida, cuja maior decepção na vida era ter que aceitar o fato de que o filho mais velho era capaz de tudo em nome de fama e ascensão social, chegando mesmo a cometer crimes, aos poucos ficou para trás. Não totalmente. Mas deu espaço a uma mulher mais fria, menos arrebatada tanto por Jerônimo quanto por João. E até mais cínica diante da vida, pode-se dizer.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mesmo seu romance com Herculano Mendes (Humberto Martins) não rendeu tanto quanto pareceu que poderia no início. Com efeito, isso pôde ser dito dessa trama bem antes da saída antecipada do ator do elenco. Não foi a saída de Humberto que prejudicou Janaína. A impressão que ficou para os telespectadores mais atentos, com efeito, foi a de que as autoras quiseram transformar a cozinheira e depois empresária numa figura diferente da inicial. Todavia, não chegou a ser algo gritante como o ocorrido com a Maria da Paz (Juliana Paes) de A Dona do Pedaço, é bom que se diga.

De empregada a patroa, de vendedora de quentinhas a sucesso como empresária

Ao longo da década de 1990, durante a qual se passou a trama da novela, Janaína passou de funcionária da pousada da amiga Celestine (Bel Kutner) em Santa Catarina a vendedora de quentinhas no Rio de Janeiro. Posteriormente, ela trabalhou como cozinheira do Baião de Dois, restaurante de Raimundo dos Reis (Flávio Tolezani), antes de ter o seu próprio, o Sua Praia. Ademais, depois eles se uniram e foi criado o Praia do Baião, sucesso a ponto de possibilitar a compra da suntuosa cobertura que já foi dos Ferreira Lima.

Raimundo (Flávio Tolezani) e Janaína (Dira Paes) na novela Verão 90 (Foto: Globo/Cesar Alves)

A habilidade de Dira Paes impediu Janaína de cair no ridículo

Sob efeito do doce de leite batizado por Galdino (Gabriel
Godoy) que rendeu bastante confusão em meados da história, Janaína perdeu seu
habitual comedimento durante uma festa que reuniu todo o elenco. E chegou até a
expor ao ridículo o desafeto maior, Mercedes. Situações como essa, bem como a
implicância existente entre Janaína e Lidiane, sogras dos filhos uma da outra,
que vem dos anos 1980, quando João e Manuzita eram crianças, com uma atriz
menos experiente e talentosa tinham grande chance de resvalar num ridículo sem
tamanho. No entanto, Dira Paes e Cláudia Raia, em que pese o eventual excesso
aqui ou ali, conseguiram se destacar bastante numa novela que, se obteve
sucesso e repercussão, ficou também aquém do que poderia ter sido e prometeu à
época da estreia.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total
responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio