Despedida de Luciano Huck dos sábados da Globo marca fim de uma era

Caldeirão devolveu a liderança de audiência à Globo numa fase difícil

Publicado em 28/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O último Caldeirão do Huck, exibido neste sábado (28) na Globo, é um momento histórico na TV brasileira. Luciano Huck deixa o horário que consagrou na emissora, tornando-se o apresentador que mais tempo permaneceu na faixa e consolidou a liderança de audiência do canal nas tardes de sábado. Um feito e tanto para um jovem apresentador que veio da Band como uma aposta que se mostrou certeira.

Desde a morte de Chacrinha, no final da década de 1980, a Globo teve dificuldades em encontrar um novo programa de variedades para as tardes de sábado. Show do Mallandro, Esporte Espetacular, Planeta Xuxa, Sessão de Sábado e o musical Samba, Pagode & Cia foram algumas das apostas, mas nada foi adiante. Enquanto isso, o Programa Raul Gil começava a se destacar nas tardes da Record TV, e o veterano assumiu a liderança do horário no final da década de 1990.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Globo, então, foi às compras na concorrência. Na mesma leva em que tirou Ana Maria Braga da Record, e Serginho Groisman e Jô Soares do SBT, a emissora contratou Luciano Huck, que se destacava com o juvenil H nas noites da Band. E lhe entregou a espinhosa missão de recuperar a liderança de audiência dos sábados.

Não foi fácil. O Caldeirão do Huck estreou com a mesma pegada juvenil do H, mas não conseguiu atrair a dona de casa interessada nos calouros de Raul Gil. Entretanto, a direção da Globo não jogou a toalha, investindo pesado no programa de Luciano Huck e abrindo o leque da atração, para que o programa pudesse falar com a família toda.

Assim, com formatos importados, muito assistencialismo e histórias de “populares”, Caldeirão do Huck encontrou uma receita que, aos poucos, chamou a atenção da audiência. Demorou uns três anos, mas Huck conseguiu imprimir sua marca e devolver a liderança para a Globo no horário. Hoje, o Caldeirão ocupa uma confortável liderança e já não tem mais concorrentes à altura.

Ou seja, Marcos Mion terá uma missão bem mais simples em sua estreia no Caldeirão. O apresentador herdará um horário consolidado e um ambiente sem concorrência, e deve ter uma gestão tranquila à frente da atração. Já Luciano Huck terá um novo desafio: vai procurar descobrir se o público do domingo está interessado em seus quadros assistencialistas e cheios de “emoção”, que migrarão com ele para o Domingão com Huck.

É inegável a contribuição de Luciano Huck na boa fase que a Globo vive aos sábados. Nestes 21 anos, o apresentador amadureceu, conquistou seu público e aprendeu a falar às massas. Ou seja, está preparado para o domingo. No entanto, ele vai encarar uma concorrência mais acirrada e um público ainda mais heterogêneo. Mais uma vez, a Globo joga seu artista “aos leões”.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio