Deborah Evelyn é uma atriz de composição

Publicado há 3 anos
Por André Romano
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quer saber se um artista é de verdade? Desligue as câmeras e perceba suas atitudes com os holofotes apagados, isso entrega de imediato a sua essência. Por incrível que pareça, eu sempre encontro Deborah Evelyn com esses holofotes apagados, e, uma coisa eu posso garantir, ela é grande! Em todos os aspectos: como atriz, como mulher e como ser humano. Ela é uma atriz de composição. Não é atoa que é considerada uma das melhores de sua geração. Se ela tivesse nascido nos Estados Unidos, já teria várias estatuetas de Oscar em sua estante. Pois talento, ela tem de sobra, alinhado ao carisma que transborda em seu olhar.

Leia também: Camila Queiroz fala sobre sucesso na carreira: “Beleza não segura nada”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Certa vez, Fernanda Montenegro, a grande dama de nossa dramaturgia disse o seguinte: “Se me incomodasse tanto o ser humano me solicitando, eu deixaria de me exibir, ficaria dentro de minha casa e procuraria um trabalho num laboratório de pesquisas químicas, por exemplo.”, poucas pessoas do nosso showbiz pensam assim. Mas a personagem principal dessa resenha age realmente desse jeito; estou falando da incrível Deborah Evelyn. Uma profissional que faz tudo com amor ao próximo. Não só ao telespectador que recebe perante o monitor de sua TV, a entrega dessa atriz sublime, mas as pessoas ao seu redor, que tem a honra de dividir momentos peculiares ao lado dessa mulher que nos faz ter orgulho de ter nascido no mesmo período que ela, pois é uma honra apreciar o seu talento.

A partir desse mês, poderemos apreciar o talento de Deborah Evelyn em dose dupla. Em Celebridade, onde interpreta uma mulher que vive um luto, após a perda precoce de um filho; e em Tempo de Amar, onde interpreta uma mulher fútil, que só pensa no seu próprio umbigo. Um coisa posso garantir, teremos uma entrega única dessa atriz que abrilhanta a nossa dramaturgia a décadas. Deborah, obrigado por tudo!

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio