Com trama de Marina, autores de A Lei do Amor destroem sua história de amor mais envolvente

Publicado há 4 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos últimos capítulos de A Lei do Amor, acompanhamos Tiago (Humberto Carrão) traindo a esposa Letícia (Isabella Santoni) com Marina (Alice Wegman) que, por sua vez, o provoca, usando-se de sua semelhança com a “falecida” Isabela, grande amor do mocinho. Tal entrecho mostra que os autores Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari perderam a mão da única história de amor que empolgou no início de sua história. Afinal, atualmente, Tiago se mostra como um mocinho fraco e manipulável, que trai a esposa com uma mulher muito semelhante à sua ex-namorada, mas que todos realmente acreditam que se trata de outra pessoa.

O triângulo amoroso envolvendo Tiago, Isabela e Letícia chamou a atenção no início de A Lei do Amor. Tiago e Isabela formavam um casal adorável, enquanto Letícia era a chata, praticamente uma vilãzinha que usava a doença que a acometia como chantagem. Muitos reclamaram que Letícia era chata demais, e era mesmo. Mas, na verdade, esta “chatice” é que fazia o triângulo render, pois o público passava a torcer para Tiago e Isabela ficarem juntos. E, quando o casal finalmente acontece, Isabela é dada como morta e muita coisa muda.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Letícia tornou-se uma outra pessoa do dia para a noite, muito mais agradável. Ela e Tiago retomam e se casam, enquanto a trama de Isabela passa praticamente dois meses completamente adormecida. Quando surge Marina, igualzinha à Isabela, uma trama que aparentemente havia perdido a importância é retomada. Esta demora na entrada de Marina fez o público se acostumar, novamente, a ver Letícia e Tiago juntos, e desta vez ela não é mais a vilã do triângulo. Quando Marina surge, já tarde, ficou bem difícil retomar o interesse por sua real identidade. Se ela é realmente Isabela, sua “vingança” contra Tiago ficou bem mal contada. E Tiago, antes bom-moço, se tornou o elo mais fraco, pois agora ele aparece como o traidor.

A história teria funcionado melhor se Letícia continuasse como vilãzinha do triângulo e se uma possível vingança de Isabela contra Tiago fosse um tanto mais palatável. Do jeito que a história está, os personagens tornaram-se desinteressantes, e a busca pela verdade sobre quem é, de fato, Marina, não empolga nem um pouco. Uma pena.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais