Dramalhões em alta

Com produção própria reduzida, SBT se destaca com novelas mexicanas

Na falta de programas inéditos, tramas surgem como opção

Publicado em 20/10/2020

Entre erros e acertos, o SBT vem mantendo sua faixa de Novelas da Tarde. Atualmente, exibindo a reprise de O que a Vida me Roubou e a inédita Quando me Apaixono, a emissora tem conquistado índices bastante satisfatórios de audiência. As produções mexicanas chegam a incomodar o Cidade Alerta, da Record TV.

Num momento crítico como o atual, no qual a emissora se vê obrigada a paralisar produções e demitir funcionários, o SBT vê como destaque de sua grade justamente duas novelas mexicanas. O que chega a surpreender, se levarmos em consideração que o canal costuma maltratar sua faixa de novelas vespertinas.

Mudanças de horários, reprises precoces, extinção de faixas, exibição de produções equivocadas como Carrossel ou Milagres de Nossa Senhora… tudo isso incomoda o espectador dos dramalhões tradicionais. Nos últimos anos, o que não faltaram foram decisões erradas sobre o destino da faixa.

No entanto, ela resiste. E, visto os resultados atuais, se mostra como um grande acerto da emissora. Afinal, a exibição de novelas mexicanas está no DNA do SBT. Clássicos como Os Ricos Também Choram, Ambição, Maria do Bairro e A Usurpadora fazem parte da história da emissora. Ou seja, há um público cativo formado, que responde bem quando são feitas boas escolhas de títulos no horário.

É o que acontece atualmente. O que a Vida Me Roubou obteve bons índices de audiência em 2017, quando foi exibida pela primeira vez. Na reta final, a reprise tem, novamente, mostrado fôlego. Já Quando me Apaixono é uma produção inédita. Remake de A Mentira (que também teve uma versão nacional, Corações Feridos), o folhetim agradou o público da faixa e elevou os índices de audiência herdados de Betty, a Feia em NY, que não foi tão bem por aqui.

Horário nobre

O SBT atual, tomado por reprises, não tem grandes destaques na programação. Sua dramaturgia infantil está refém de repetecos batidos com Chiquititas e Cúmplices de um Resgate. E sua linha de shows está bastante enfraquecida. O bom desempenho das novelas mexicanas mostra que estas produções ainda têm força na emissora. Mais: mostram condições de servirem como curingas na grade, como já aconteceu anos atrás.

Boatos dão conta de que o SBT pode voltar a apostar em novelas mexicanas em seu horário nobre, no lugar de Cúmplices de um Resgate. O bom desempenho delas à tarde mostra que há, sim, um público para isso. E exibir uma novela inédita, mesmo que dublada, parece uma opção bem mais interessante que a enésima reprise de Carrossel.

O momento é crítico. Já que não dá para investir em produção própria, a emissora devia voltar a olhar com mais carinho para estas tramas, que já foram fundamentais em sua grade num passado não muito distante. Voltar a apostar nelas no horário nobre é algo a se considerar.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.