Com primeiro capítulo deslumbrante, Órfãos da Terra é promissora

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Duca Rachid e Thelma Guedes são duas autoras que conhecem bem o terreno da teledramaturgia. Suas novelas sempre têm uma pegada muito forte de folhetim, mas trazem também a agilidade das séries e um pano de fundo que chama a atenção pelo arrojo. Isso pode ser visto à tarde, com o sucesso de Cordel Encantado no Vale a Pena Ver de Novo. E também pode ser observado na estreia de Órfãos da Terra, a mais nova novela da dupla.

O primeiro capítulo da nova obra foi deslumbrante. O apuro técnico e visual, além dos takes criativos e sequências cheias de signos, revelam uma direção de pulso firme e criativa. Mas o que chama a atenção é mesmo o texto. Depois da derrapada de Joia Rara, Duca Rachid e Thelma Guedes voltam com força à ousadia vista em Cama de Gato e Cordel.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atuando como espécie de “discípulas” de Gloria Perez, uma mestra na arte de transformar assuntos contemporâneos em melodrama, as autoras foram felizes ao abordar o drama dos refugiados sírios. Deste modo, dão à Órfãos da Terra uma relevância artística. Mas, claro, sem perder de vista o entretenimento comum ao público do horário das seis. Por isso, as novelistas propõem uma história de amor impossível em meio à guerra. Assim, têm em mãos um material com todo o jeitão de épico, feito para arrebatar.

“Somente por amor…”

Para os fãs de uma boa novela, foi impossível não associar Órfãos da Terra a O Clone, sucesso do início da década. Não apenas pela semelhança entre a cultura marroquina, mostrada na novela de 2001, com a cultura síria. Mas, principalmente, pela boa gama de personagens multiculturais, que dão diversidade e estofo às tramas da novela.

Além disso, o encontro dos protagonistas, que se apaixonam à primeira vista, também remete à obra de Gloria Perez. Jamil (Renato Góes) e Laila (Julia Dalávia) se encontraram no final do primeiro capítulo e se encantaram. No entanto, sabe-se que eles terão problemas. Isso porque ele está prometido à Dalila (Alice Wegman), filha de Aziz (Herson Capri), chefe de Jamil. Enquanto isso, Aziz deseja Laila e quer se casar com a mocinha.

Elenco

Órfãos da Terra está bem servido de atores. Renato Góes e Julia Dalávia são jovens atores, que injetam frescor à novela. O fato de eles não terem a imagem desgastada, como boa parte dos atuais protagonistas da Globo, é um ponto a favor. A dupla mostrou sintonia na segunda fase de Velho Chico, na qual viveram Santo e Maria Tereza, e a química deve se repetir.

Além disso, o ex-casal Eliane Giardini e Paulo Betti vive um casal na novela, Rania e Miguel, patriarcas de um clã barulhento que deve render. São eles a ligação entre o Brasil e a Síria, já que Rania é prima de Missade (Ana Cecília Costa), a mãe de Laila.

É possível ver também os “pés de coelho” das autoras em cena. Ana Cecília Costa, ótima atriz, mais uma vez é a mãe da mocinha, assim como em Cordel Encantado. A artista esteve também em Cama de Gato e Joia Rara, sempre com bons serviços prestados. Enquanto isso, a bela abertura da novela revelou a presença de Camo Dalla Vecchia, que ainda bate ponto em Malhação: Vidas Brasileiras. Outro ator sempre presente nas novelas das autoras.

Em suma, Órfãos da Terra teve um primeiro capítulo arrebatador. Com uma ótima apresentação de personagens e trama cheia de possibilidades, a novela tem tudo para manter a boa fase das novelas das seis. Trata-se do horário mais inventivo e variado dentre as faixas de novelas da Globo.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio