Com disputa entre mães, Malhação: Toda Forma de Amar vai além do drama adolescente

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Malhação: Toda Forma de Amar não tem decepcionado nos números de audiência. Desde que estreou, a trama de Emanuel Jacobina tem mantido um público cativo e fiel. Um dos motivos é o fato de a temporada ter estreado embalada pelo Vale a Pena Ver de Novo, que cresceu com Cordel Encantado e Por Amor. No entanto, outro motivo pode ser a temática da temporada, que vai além do drama adolescente convencional.

A trama central de Toda Forma de Amar gira em torno de Rita (Alanis Guillen), uma jovem que teve a filha tirada dos seus braços logo após o parto. Rita acreditou que a filha havia morrido, até descobrir que a bebê ainda vive e foi adotada por outra família. Ela, então, localizou os pais adotivos da criança. Assim, iniciou uma batalha com Lígia (Paloma Duarte) pela guarda da pequena.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ou seja, a nova Malhação basicamente gira em torno da luta de duas mulheres pelo direito de ser mãe de um bebê. Afinal, quem tem direito à criança? A jovem mãe biológica, que foi enganada? Ou a mãe adotiva, que a adotou legalmente, sem saber da origem duvidosa do bebê? São questionamentos que já foram vistos e revistos em vários folhetins, mas que ganha um contorno jovem em Toda Forma de Amar. Deste modo, Malhação deixa de ser uma trama essencialmente adolescente. É um melodrama tradicional que, guardadas as devidas proporções, poderia ocupar qualquer horário.

Tribos

Com este apelo, a atual Malhação deixa claro que ambiciona um público maior do que o jovem. Não que adultos já não acompanhem a trama, mas Toda Forma de Amar traz mais elementos de interesse de um público mais amplo. Isso é bom, tendo em vista que a nova temporada consegue trazer algo diferente, comparado às antecessoras.

Mas Malhação ainda é um produto juvenil. Em torno do conflito entre Rita e Lígia, a história traz vários outros jovens vivendo típicas situações de romance e vida escolar. Nas tramas paralelas, nota-se a clara inspiração em Viva a Diferença, a mais bem-sucedida temporada de Malhação dos últimos anos. Assim como na história de Cao Hamburger, a trama de Emanuel Jacobina busca retratar a diversidade da vida juvenil, abordando várias culturas e tribos.

Assim, Jacobina conseguiu sair de sua zona de conforto. O autor, que já assinou várias outras temporadas de Malhação, vinha refém de uma fórmula pronta e desgastada. Desta vez, ele conseguiu bolar uma trama que trouxe algo de novo ao longevo programa.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio