Com bons personagens e muita ação, Nos Tempos do Imperador causa boa impressão na estreia

Trama de Alessandro Marson e Thereza Falcão tem potencial

Publicado em 9/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com um ano e meio de atraso, Nos Tempos do Imperador estreou mostrando que a espera valeu a pena. A trama de Alessandro Marson e Thereza Falcão mantém a boa fórmula de Novo Mundo (2017), que foi muito vitoriosa em seu ano de exibição, e trouxe um apelo épico que deve chamar a atenção do público do horário.

Apesar de ser uma continuação direta, Nos Tempos do Imperador tem um ar mais “adulto” que Novo Mundo. Isso se deve ao protagonista, Dom Pedro II (Selton Mello), que é um imperador mais maduro e sensato que Dom Pedro I (Caio Castro), o herói da trama anterior. Esta postura se reflete em toda a trama, que conta com uma pegada menos fantasiosa que a outra.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Porém, apesar de não contar com um ataque de piratas, Nos Tempos do Imperador teve boa dose de ação nesta estreia. As cenas da fuga de Jorge (Michel Gomes) foi de encher os olhos, com uma fotografia robusta, belas cenas de capoeira e uma trilha sonora capaz de levar o público a imergir naquele momento.

Nos Tempos do Imperador também fez uma boa apresentação dos personagens, mostrando uma galeria de tipos bastante eficiente. Rever Selton Mello, há 21 anos afastado das novelas, é um grato presente. O ator consegue imprimir maturidade e alguma doçura a um imperador que é, ao mesmo tempo, austero.

Letícia Sabatella, a imperatriz Tereza Cristina, e Mariana Ximenes, a Condessa de Barral, vivem uma evidente maturidade cênica. Enquanto isso, Gabriela Medvedovski, revelação de Malhação: Viva a Diferença, mostrou-se uma ótima mocinha, assim como Michel Gomes, que parece uma escolha acertada como o herói jovem da trama.

Outro acerto é o texto de Alessandro Marson e Thereza Falcão, muito afinado com a contemporaneidade. Frases como “o Brasil não vai se curvar a um ditador”, dita por Dom Pedro II, encontra ecos na atualidade e se mostra oportuna num momento de evidente crise política. A velha frase “conhecer o passado para não repetir os erros no presente”, tão dita por nossos professores de História, nunca fez tanto sentido.

Além de todos estes predicados da estreia, Nos Tempos do Imperador também se aproveita do fato de ser a única novela inédita em exibição na Globo. Assim, deve encontrar um público cansado de reprises e, por isso, mais propenso a embarcar na história.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio