CNN Brasil acerta ao desligar Alexandre Garcia

Canal de notícias demitiu o veterano jornalista de política, comentarista do quadro Liberdade de Opinião

Publicado em 25/09/2021 14:36
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A CNN Brasil fez a coisa certa com Alexandre Garcia.

Mas, antes de qualquer coisa, lembremos: a Constituição garante a livre manifestação do pensamento, bem como a liberdade da atividade de comunicação.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No entanto, isso não significa que as emissoras de TV têm obrigação de manter colunistas, comentaristas ou programas.

Principalmente os que fazem a rede precisar produzir material complementar, para esclarecer ou sanar má informação divulgada ou os mal-entendidos provocados pela opinião de algum contratado seu.

Era o que acontecia com Alexandre Garcia, desligado nesta sexta-feira(24), da CNN Brasil. Ele tinha o quadro Liberdade de Opinião.

O caso dele já vinha numa escalada de piora nos últimos tempos.

O jornalista é muito experiente e dono de longa carreira de trabalho na comunicação de governo.

Depois de 30 anos de atuação na cobertura política de Brasília para a TV Globo, ele foi para a CNN Brasil.

Lá, ele vinha ultimamente causando grande desconforto e repercussão negativa junto à opinião pública sem fanatismo com política diante de suas colocações.

Histórico

A emissora dedicada ao jornalismo, após seu primeiro ano de estreia, já passou por uma grande alteração de direção, com a saída de um dos seus sócios fundadores, Douglas Tavolaro.

Também, a equipe de jornalismo, depois de muitas tentativas de fazer uma cobertura próxima ao governo, com acesso a autoridades e algumas poucas entrevistas exclusivas, acabou vencida pelo peso das circunstâncias.

Afinal, estamos num governo que despreza a imprensa de um modo geral, maltrata jornalistas e repórteres, não abre microfone para perguntas em entrevistas coletivas, frequentemente não fornece respostas ou posicionamentos oficiais.

Não há muita preocupação por parte das autoridades do executivo federal em dar satisfações à sociedade.

Chegou-se a um ponto em que nem a CNN Brasil podia mais deixar um repórter no tal cercadinho do Palácio da Alvorada.

Cada dia ali era dia de levar ofensas do presidente e dos seguidores mais ardorosos.

A situação colocava em risco a integridade dos profissionais.

O caso Garcia

Alexandre Garcia estava há pouco mais de um ano com seu quadro na CNN Brasil e desde sempre tecia os mais diversos comentários, majoritariamente favoráveis às posições do governo federal.

Porém, ele não demonstrava preocupação em fundamentar suas posições controversas com argumentos verídicos.

Por mais que um quadro de opinião dê liberdade de manifestação ao seu autor, o fato é que o jornalista começou a colocar pautas sem conexão com dados da realidade.

Além disso, em plena pandemia, ele privilegiava os temas anti-ciência, questionava a vacinação e tinha discurso cheio de viés positivo para o uso de medicamentos não recomendados.

No mês passado, Alexandre Garcia teve um desentendimento no ar com o apresentador Rafael Colombo, ao defender uma posição do presidente Jair Bolsonaro de afronta a prefeitos e governadores.

Diante de uma colocação de Colombo, que esclarecia uma decisão do STF, o comentarista se mostrou bastante irritado.

Ele emudeceu por um tempo no ar e depois disse que não sabia se retornaria no dia seguinte para a atração.

Com a repercussão do ocorrido, Alexandre Garcia justificou que tudo tinha sido em virtude de um erro técnico, por ter entendido que seu tempo tinha acabado.

Alexandre Garcia já defendeu chacina no ar, disse que jovens (segundo estatísticas não reveladas) não têm necessidade de serem vacinados contra a Covid-19.

Neste caso, a emissora precisou até colocar no ar entrevista de um médico especialista, dando os dados concretos a respeito das mortes de jovens e crianças durante a pandemia.

Durante o programa Novo Dia, desta sexta-feira (24), a apresentadora Elisa Veeck teve de contestar o que havia sido dito por Garcia sobre a procedência de tratamento precoce.   

De acordo com o comunicado divulgado, a emissora rescindiu o contrato depois que o comentarista reiterou a defesa do tratamento precoce contra a Covid-19:

A decisão foi tomada após o comentarista reiterar a defesa do tratamento precoce contra a Covid-19 com o uso de medicamentos de eficácia não comprovada pela ciência“.

Para os fãs

Alexandre Garcia poderá ainda ser apreciado por seus fãs em outros canais.

Ele manifesta suas opiniões em vários veículos, como seu próprio canal no YouTube com mais de dois milhões de inscritos.

Também, o jornalista tem espaço na imprensa escrita, com uma coluna na Gazeta do Povo, e possivelmente há de ser contratado por alguma outra rede de TV ou rádio que o considere alinhado à sua posição editorial.

Bem fez a CNN Brasil a si mesma. É sempre recomendável ter em seus quadros bons nomes que possam trazer pontos divergentes e elevem o nível dos debates.

Mas desde que estejam abastecidos com argumentos e fatos baseados na realidade.

** Informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de sua autora e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio