Carolina Ferraz é um bom começo, mas Domingo Espetacular precisa de mais mudanças

Programa ainda carece de mais criatividade

Publicado há 22 dias
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carolina Ferraz foi a grande estreia do “novo” Domingo Espetacular. Apesar de a artista ter começado na TV como apresentadora, e já ter tido experiências em dominicais da extinta Manchete e da Globo, sua fama veio mesmo por conta das inúmeras novelas. Sendo assim, a presença de Carolina neste posto na Record TV foi vista como novidade por muita gente.

Sem dúvidas, um nome de peso, e que corresponde às expectativas. Segura, elegante, correta e muito carismática, Carolina Ferraz cumpre bem a missão que lhe foi dada. Sua presença deu realmente uma nova cara ao Domingo Espetacular, e se mostrou um bom início de uma reformulação da revista eletrônica já pretendida há tempos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além de âncora, Carolina também se aventurou fora do estúdio, comandando uma matéria sobre os restaurantes que foram abertos no país no contexto da reabertura gradual em razão da pandemia. Ali, foi visto uma Carolina ainda mais interessante, mais solta, sem as amarras do teleprompter.

Ao lado de Eduardo Ribeiro, Carolina Ferraz comandou um Domingo Espetacular um tanto mais leve que o habitual. Normalmente tomada por noticiário policial, seguidas por intermináveis matérias de curiosidades, o dominical da Record TV investiu em muitas reportagens mais leves neste recomeço. É um caminho interessante, que pode tirar a atração do marasmo.

Outras mudanças

As mudanças do Domingo Espetacular mostram que a revista eletrônica, criada à imagem e semelhança do Fantástico, da Globo, tem buscado se tornar um diferencial. Enquanto a concorrente aposta em conteúdo mais “pesado”, a atração da Record revela que há uma intenção de tornar o entretenimento mais evidente.

É uma boa saída. Mas ainda é preciso mais ousadia. A atração em si segue muito quadrada. Já que agora conta com Carolina Ferraz, o programa devia explorar mais sua versatilidade, mudando até mesmo a sua forma de apresentação. Afinal, é possível fazer uma revista semanal sem ser uma mera cópia do Fantástico.

Além disso, poderiam repensar o cenário. A opção por um cenário virtual é interessante quando se fazem uso da realidade virtual, com mudanças cênicas que revelam o conteúdo da reportagem apresentada. Mas o “padrão”, como já foi apontado por muitos espectadores, ficou parecido com o Leitura Dinâmica, da RedeTV!. E isso não é um elogio.

Carolina Ferraz formando dupla com Eduardo Ribeiro, juntamente ao conteúdo mais leve, é o início de uma boa reformulação. Mas não devem parar por aí. É uma mudança promissora, mas precisa ir adiante.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais