Após início turbulento, Fofocalizando vive calmaria

Publicado em 17/04/2017

Não faltaram fofocas sobre o Fofocando, programa criado às pressas por Silvio Santos num momento em que o dono do SBT encasquetou que queria concorrer com o quadro A Hora da Venenosa, do Balanço Geral da Record. Em menos de uma semana, Silvio Santos contratou apresentadores, montou produção e colocou no ar o vespertino, que estreou já amargando baixos índices de audiência.

De lá para cá, a atração mudou de horário várias vezes, ganhou novos apresentadores, perdeu tempo de duração, retomou tempo de duração, mudou de nome para Fofocalizando… Não foram poucas as tentativas de fazer o programa engrenar. Neste quesito, tantas tentativas até chamaram a atenção, já que não é muito comum o SBT fazer tantas alterações buscando corrigir rotas. Normalmente, quando estes programas criados do éter por Silvio Santos não vingam, eles saem de cena logo. Veja o que aconteceu com o Primeiro Impacto na hora do almoço, que durou apenas uma semana. Fofocalizando teve mais sorte neste ponto.

Passado todo este tempo, o que se percebe hoje é que o Fofocalizando vive uma fase de calmaria. Para conquistar tal feito, a principal solução foi mesmo sair da linha de tiro com o quadro comandado por Fabíola Reipert. Na faixa das 14h45, fora da concorrência direta com o Balanço Geral, a atração do SBT se encontrou. Não que ostente grandes números de audiência, mas vem oscilando entre os 5 e 6 pontos e garantindo a vice-liderança no Ibope ao concorrer com a novela Vidas em Jogo. Um resultado bastante satisfatório.

Isso não quer dizer que Fofocalizando seja, agora, um ótimo programa. Não é. O programa ainda peca pela pauta pouco inspirada e pela insistência em colocar seus apresentadores em constante discussão, sobretudo Mara Maravilha, que parece sempre disposta a causar. Ao seu favor, o programa tem a presença de Leo Dias, responsável pelo conteúdo exclusivo da atração, e a troca do “Homem do Saco” por Décio Piccininni. Décio trouxe sua experiência à atração, o que é sempre válido.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.