Apesar da casca “moderninha”, De Férias com o Ex é puro folhetim

Assim como outros realities de convivência, atração bebe da fonte do "novelão"

Publicado há 6 meses
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Reality shows que envolvem confinamento e convivência costumam funcionar muito bem junto ao público brasileiro. Isso porque é um tipo de reality bastante propício a adotar uma narrativa em tom de folhetim. O que não faltam nestes programas são mocinhos e antagonistas, reviravoltas amorosas e muitos conflitos. E nem mesmo o De Férias com o Ex, da MTV, se livra desta pecha. A atração tem a roupagem juvenil e moderninha, com muita pegação. Mas, no fundo, é o bom e velho folhetim.

O segundo episódio da sexta temporada deixou isso bastante claro. A ação se concentrou em Mina, Caio, Novinho, Flávia e seus “ex”, que protagonizaram uma ciranda amorosa cheia de surpresas. Inicialmente, foi Mina quem se surpreendeu ao encontrar um ex seu. Não na praia, mas na suíte máster. Ao mesmo tempo, a jovem se envolve e parece cada vez mais encantada com Caio, considerado o “fofo” não apenas pelas mulheres da casa, mas também pela audiência.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Enquanto isso, Novinho atira para todos os lados e consegue se dar bem com Flávia. Mas, quando ele sai acompanhado dela e de Caio, acaba se surpreendendo com a chegada da ex. E é uma ex importante, já que, claramente, mexe com ele, que apareceu “desarmado” pela primeira vez. Porém, é Caio quem deve levar a moça para um passeio, enquanto Novinho e Flávia voltam à mansão. Já Caio se mostra bastante animado com a nova integrante da casa, mas já está envolvido com Mina e não se permite ir além. E Mina, na casa, não esconde as saudades do “amado”.

Ciranda amorosa

Ou seja, Caio e Mina despontando como o primeiro casal formado no De Férias com o Ex já os colocou na posição de protagonistas. Porém, a relação foi colocada à prova a todo o momento. Paralelamente, Novinho protagonizou um “plot twist” daqueles, ao reencontrar a ex e se mostrar bem diferente da primeira impressão causada. Tanto que escolheu justamente a ex para acompanhá-lo na suíte.

Resumindo: apesar da rotatividade intensa de casais, e dos inúmeros momentos quentes, o que move a narrativa do De Férias com o Ex é mesmo o folhetim. O programa apresenta seus personagens e os coloca num determinado lugar, mas logo desestabiliza todos eles com as ordens do tablet, que funciona como um antagonista e faz a trama andar. No fundo, é uma novela juvenil erótica bem temperada.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais