Ao tratar naturalmente da identidade de gênero, Amor & Sexo se torna um programa necessário

Publicado há 4 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Amor & Sexo, a cada edição, mostra porque foi uma boa ideia da Rede Globo continuar a atração, embora já tenha anunciado seu final tantas e tantas vezes. O programa apresentado por Fernanda Lima ganha em conteúdo e relevância, ao ter coragem de levantar bandeiras e tratar de temas considerados tabus no canal de maior alcance do país. Na edição de ontem (02), ao tratar de identidade e liberdade de gênero, Amor & Sexo foi fundo na questão e, cada vez mais, tornou-se um programa necessário.

Há muita desinformação e obscuridade a respeito deste tema. Muita gente ainda não entende a questão da identidade de gênero, e a falta de informação, muitas vezes, é que dá margem ao preconceito. Por isso, Amor & Sexo vestiu uma capa didática e conseguiu desmistificar muitos pontos acerca do assunto. No último programa, Fernanda Lima recebeu convidados e promoveu um importante debate sobre a questão de gênero, e explicou as diferenças entre transsexuais, drags, binários e não binários, homens e mulheres cis, entre outros. E deixou clara a importância de se falar sobre isso abertamente. Foi um avanço e tanto na discussão sobre o tema na TV aberta brasileira.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além da boa conversa, Amor & Sexo ainda emocionou com depoimentos de transsexuais e, ainda, com a interpretação de Liniker de “Geni e o Zepelin”, quando fez um discurso sobre a violência que acomete homossexuais e transsexuais. Foi algo sensível e muito, muito bonito! É a arte como instrumento de debate e reflexão.

E mesmo falando de coisa séria e sendo didático, o Amor & Sexo não perdeu sua qualidade de entreter e divertiu, ao mostrar um campeonato de “bate cabelo”, ou trazer Rodrigo Hilbert, marido de Fernanda, travestido. É muito bom ver que tem gente na televisão disposta a colocar o dedo na ferida e trazer assuntos importantes a tona, afinal, o combate ao preconceito começa com a boa informação.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais