Publicidade

Susana Vieira sai do piloto automático e vive ótimo momento em Éramos Seis

A atriz fez um excelente trabalho como tia Emília

Tia Emília (Susana Vieira)
Publicidade

Éramos Seis vai chegando ao fim se mostrando um acerto em todos os sentidos. A versão da Globo da famosa história agradou com as mudanças propostas no texto de Ângela Chaves, na direção segura e no elenco bem escalado. Neste contexto, o trabalho de Susana Vieira chama a atenção positivamente. Sua tia Emília foi o melhor trabalho entregue pela veterana em anos.

Para quem assistiu à versão do SBT da história, a tia Emília ficou marcada como um tipo duro e implacável, numa interpretação magistral de Nathalia Timberg. Pois Susana Vieira conseguiu construir uma tia igualmente implacável, mas que fugiu da dureza gratuita. Pelo contrário. Esta versão de Éramos Seis apostou numa tia mais humana, que disparava impropérios e teve momentos de vilanias, mas que eram justificados por seu passado cheio de mistérios. Ou seja, a atual tia Emília surgiu mais humana, com momentos de ternura.

E Susana Vieira conseguiu passar isso ao público. Sua interpretação fugiu dos vícios dos quais a atriz vinha repetindo nos últimos anos, fazendo com que a figura forte de Susana ficasse em segundo plano. A personagem sobressaiu. Isso mostra o quanto Susana foi feliz na composição da tia de Lola (Gloria Pires). Consequentemente, sua participação a história foi acertadamente ampliada.

Continua depois da publicidade

Personalidade forte

Nos últimos anos, a figura Susana Vieira acabou sobressaindo ao trabalho artístico da atriz. Ela fortaleceu uma imagem despachada, sincera e sem rodeios, caracterizada pelo humor corrosivo e pela falta de modéstia. Isso respingou em suas personagens, que foram ficando todas muito parecidas.

Deste modo, ela encarnou personagens como Cora, em Os Dias Eram Assim (2017; Adisabeba, em A Regra do Jogo (2015); ou Pilar, em Amor à Vida (2013); todas muito semelhantes à atriz Lara Romero, das séries Lara com Z (2011) e Cinquentinha (2009). Que, por sua vez, foi um tipo criado por Aguinaldo Silva à imagem e semelhança da própria Susana. Ou seja, a atriz reforçou a impressão de que vinha interpretando ela mesma. Felizmente, a tia Emília de Éramos Seis apagou esta impressão e fez o público se lembrar da grande atriz que Susana Vieira é.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo. 

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade