Em Jezabel, Juliana Knust tem bom momento com mulher forte

Publicado há um ano
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atração das 20h45min na Record TV, Jezabel, de Cristianne Fridman, tem outra mulher forte no enredo além da personagem-título interpretada por Lidi Lisboa. Falamos de Queila, papel de Juliana Knust. Embora cunhada de Jezabel, Queila não é exatamente o que se possa chamar de aliada da princesa fenícia. No entanto, também passa longe de poder ser considerada vilã. Com efeito, esse posto fica justamente para a bela e ardilosa personagem principal.

O passado na Fenícia liga as trajetórias de Queila e Jezabel

Queila era a esposa de Hailama, o falecido irmão de Jezabel. Logo após a morte do marido, quando Jezabel parte da Fenícia para Samaria Queila vai com ela, levando seu filho Baruch. Queila acaba adoecendo e durante esse período recebe os cuidados de Barzilai (Timóteo Heiderick). Ela se apaixona pelo general israelita e, em virtude desse sentimento, entrega os planos de Jezabel a Barzilai. Devido a sua atitude, Jezabel condena Queila à prisão. Mas Queila foge de Samaria com Baruch, em direção a Sarepta.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além disso, a viúva guarda um segredo. Na verdade, seu filho Baruch não é de Hailama, o príncipe fenício morto. É Hannibal (Rafael Sardão) o pai do garoto. Justamente um amante de Jezabel. Além disso, Queila sofre de Jezabel a acusação de que o pai de Baruch é o soldado Ib (Fábio Scalon).

Queila é uma personagem de nuances, de modo que oferece à atriz a chance de ir além das ingênuas e apaixonadas mocinhas que seu tipo físico e sua beleza podem propiciar com frequência.

Em seu terceiro trabalho na dramaturgia da Record TV, Juliana
Knust reafirma talento e aplicação na criação de suas personagens

Juliana Knust integra o time da dramaturgia da Record TV desde 2017. Foi quando interpretou Vitoriana Montebelo e Luxemburgo, soberana do reino em que se passava a trama de Belaventura, novela de Gustavo Reiz. Foi apenas uma participação, que a deixou livre para assumir em seguida o papel de Zoe, protagonista feminina de Apocalipse (2017/18), de Vivian de Oliveira. Com efeito, a novela não foi bem. Mas Juliana não esteve entre os defeitos possíveis de serem apontados na produção, que sofreu com interferências da cúpula da emissora e críticas à interpretação de alguns atores.

Juliana Knust fez teste para o papel-título de Jezabel

Jezabel é o terceiro trabalho de Juliana Knust na casa. A saber, a atriz fez teste para viver o papel principal, mas este ficou com Lidi Lisboa e Juliana foi escalada para viver Queila. Que também é uma boa personagem e importante para a história, diga-se.

Anteriormente, a atriz participou de diversos trabalhos na Globo,
ao longo de quase 20 anos. Só para ilustrar, Juliana iniciou sua carreira na
emissora em Malhação no ano de 1997,
e em 2015/16, no seu último papel por lá até agora, também fez parte da
“novelinha”. Além de participações em diversas séries e programas globais,
Juliana Knust esteve no elenco de novelas como Esplendor (2000), Celebridade
(2003/04), Duas Caras (2007/08) e Fina Estampa (2011/12).

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são
de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste
veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais