Com Regina Volpato, Mulheres se moderniza sem perder a essência

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um dos maiores acertos da TV em 2018 foi a chegada de Regina Volpato para comandar o Mulheres. O tradicional programa da TV Gazeta acaba de completar 38 anos e mais arejado do que nunca. Apesar de manter a essência de ser uma companhia para a dona de casa à tarde, o vespertino ganhou uma lufada de ar fresco com a nova apresentadora. O programa retomou sua relevância e voltou a ser referência no segmento.

Com Regina Volpato, Mulheres continua trazendo dicas de culinária. Também segue repercutindo as notícias dos famosos e da televisão. A atração também continua explorando pautas de saúde e serviços. Mas ganhou um ar mais moderno. Regina Volpato sabe como abordar os mesmos assuntos de sempre de maneira mais ágil e dinâmica, conseguindo extrair o melhor de cada pauta. Isso porque a apresentadora tem a curiosidade jornalística a seu favor, direcionando as conversas baseada nas possíveis dúvidas do espectador.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: “Perde as estribeiras”, diz Tiago Abravanel sobre Silvio Santos em seus programas

Além disso, Regina trouxe muito de si para a atração. Antenada nos assuntos da contemporaneidade, a apresentadora leva para a tela comentários sobre os temas do momento. Regina trouxe ao Mulheres falas sobre diversidade, feminismo, empoderamento, mercado de trabalho e outros assuntos mais urgentes. Deste modo, conseguiu modernizar um programa cuja história foi construída baseada no prosaico e no cotidiano do lar. Com Regina, Mulheres deu um necessário passo além.

Mulheres e a nova mulher

Sendo assim, a grande contribuição de Regina Volpato ao programa Mulheres foi abrir o programa para a mulher de hoje. Ou seja, o programa da Gazeta incorporou muito de Regina, que é uma mulher de 50 anos que trabalha, é dona de si e capaz de abarcar diferentes funções.

Mulheres incorporou o perfil de Regina Volpato. Tornou-se um programa terno, elegante e com uma comunicação direta ao seu público. Uma mudança positiva para um programa de tantos anos e que já passou por tantas fases.

Leia também: Globo aposta em auditório na linha de shows, mas programas não decolam

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais