Fofocalizando: Silvio Santos tanto insistiu que conseguiu fazer acontecer

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Conhecido pela inconstância, mudando a programação do SBT e fazendo e desfazendo programas de acordo com seu humor, Silvio Santos raramente dá tantas chances para fazer um projeto emplacar. Normalmente, o dono do SBT espera pouco para obter o retorno que almeja. Basta lembrar da tentativa de emplacar o Primeiro Impacto na hora do almoço, no ano passado, que durou apenas uma semana.

Pois o vespertino Fofocalizando é um dos poucos exemplos de atração que deu certo após um início meio torno e muitas mudanças de rota e reformulação na tentativa de fazer acontecer. E, pouco mais de um ano depois de sua estreia, já se pode afirmar que Silvio Santos tanto mexeu que conseguiu encontrar um rumo para o programa. E não foi fácil.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Basta lembrar que, quando foi criado, o programa se chamava Fofocando e era uma tentativa de concorrer com A Hora da Venenosa, quadro com fofocas de sucesso do Balanço Geral, da Record. Exibido no mesmo horário e com a apresentação de Leão Lobo e Mamma Bruschetta, ao lado do esquecível Homem do Saco, o programa entrou no ar às pressas e pagou um belo mico tentando roubar alguns pontinhos da concorrente.

Não conseguiu. E dá-lhe mudanças: Fofocando mudou de horário, ganhou a presença de Mara Maravilha, recebeu Léo Dias para trazer notícias exclusivas, e chegou até a ser deslocado para as manhãs, onde afundou ainda mais e deu a impressão de que sairia do ar em pouco tempo. No entanto, novas tentativas de emplacar o programa aconteceram, e a atração virou Fofocalizando, voltou para as tardes, ganhou a presença de Décio Piccinini (e a despedida do Homem do Saco) e começou a discutir outros assuntos que não unicamente a vida alheia.

Fora da concorrência com A Hora da Venenosa, Fofocalizando reagiu e seguiu em busca de um rumo próprio. Logo, quadros fixos como Triturador de Celebridades e Doeu No Ouvido É Destruído passaram a ocupar boa parte do programa. Léo Dias seguiu trazendo notas exclusivas, enquanto as fofocas da internet ganharam um quadro específico, o Direto da Redação. Por fim, o programa voltou a se dedicar ao entretenimento, acolheu Lívia Andrade e, recentemente, ganhou um quiz show entre seus quadros fixos. E a mistura vem dando resultado: a audiência do Fofocalizando cresceu.

E não se trata apenas de audiência. O Fofocalizando, em meio a tantas mudanças e remelexos, conseguiu, a cada nova tentativa, encontrar um rumo próprio. Ou seja, o programa que começou inspirado em A Hora da Venenosa, e que também tinha muito da Roda da Fofoca, quadro do A Tarde É Sua, da RedeTV!, hoje ganhou uma cara só dele. A atração conta com um grande time, é verdade, mas todos têm seus papéis específicos e rendem o que se espera deles. E seu formato, embora também viva de repercutir notícias de celebridades, acabou diferindo de todas as atrações que o inspiraram inicialmente.

Ou seja, a trajetória do vespertino do SBT deixa claro que, muitas vezes, insistir num projeto pode trazer resultados. Nem sempre o sucesso vem do dia para a noite, e experimentar, mudar e reformular pode ser uma opção para que um projeto não seja abortado prematuramente. A Globo, líder de audiência, faz isso sempre. Basta lembrar que programas como Mais Você, Caldeirão do Huck e Encontro com Fátima Bernardes estrearam cambaleantes, mas foram encontrando um rumo a partir da insistência da emissora, que não jogou a toalha. No SBT, este tipo de postura é rara. Mas aconteceu com o Fofocalizando. E deu certo.

De volta das férias, Ana Maria Braga fez falta ao Mais Você

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais