Bruno Ferrari é o grande protagonista de Tempo de Amar

Publicado há 3 anos
Por André Romano
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O grande Constantin Stanislavski tem uma citação célebre que diz o seguinte: “O ator deve trabalhar a vida inteira, cultivar seu espírito, treinar sistematicamente os seus dons, desenvolver seu caráter; jamais deverá desesperar e nunca renunciar e este objetivo primordial: amar sua arte com todas as forças e amá-la sem egoísmo”, essas palavras desse mestre da atuação do século passado, diz muito em relação a essa nova geração de atores que amam o seu ofício. Prova disso é o elenco jovem de ‘Tempo de Amar’, todos brilham em cena: desde Vitória Strada a Bruno Cabrerizo.

Mas nesse elenco tem um ator, que eu acompanho a sua carreira há mais de 15 anos, trata-se de Bruno Ferrari, um ator vocacionado. Que tudo que faz, faz bem. Ele coloca verdade em sua atuação e isso é o grande segredo do sucesso. Vicente, seu personagem na trama de Alcides Nogueira, seria um contraponto na história de Maria Vitória (Vitória Strada) e Inácio (Bruno Cabrerizo). Mas sua atuação arrebatadora e sua química com Strada, o alçou como protagonista da trama. Um retorno claro em relação a isso, foi o anúncio da possível morte de seu personagem na reta final do folhetim. O público fez um barulho tão grande em relação a isso, que o final dos três personagens citados anteriormente, serão gravados rodeados de mistérios.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Juventude perdida: adolescentes não têm mais vez na televisão

Mais uma vez fica claro, que não existe papel pequeno para um bom ator. E Ferrari é a prova disso, com seu carisma e dedicação tornou o seu Vicente, um personagem adorado pelo público e por grande parte do críticos de TV, que cobrem dramaturgia há anos. Não foi sorte, foi muito trabalho, dedicação e entrega. E isso fica nítido em cada cena que vai ao ar, pois atores tem o poder de interpretar com o olhar, e Ferrari faz isso com maestria.

E para finalizar essa resenha, deixo mais um pensamento do polivalente Constantin Stanislavski. “Não há papéis pequenos, apenas atores pequenos”, essa citação diz por si. Bruno, muito sucesso em sua jornada. Você é grande!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio