Com personagem dramática, Marisa Orth mostra versatilidade em Tempo de Amar

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Desde que apareceu ao grande público vivendo Nicinha, personagem que fazia um triângulo amoroso cômico com nada menos que Antonio Fagundes e Claudia Raia em Rainha da Sucata (1990), Marisa Orth mostrou-se hábil na capacidade de fazer rir. Sua veia cômica consolidou-se de vez com a antológica Magda, do Sai de Baixo, sua personagem mais marcante.

De lá para cá, Marisa encarou várias séries de humor na televisão, como Os Aspones, SOS Emergência e Macho Man, além de emplacar personagens cômicas também em novelas, como Bang Bang e Sangue Bom. Neste meio tempo, chegou a aparecer fazendo drama na série Dupla Identidade. Na sequência, encarou sua primeira personagem mais “humana” em novelas, a Francesca, matriarca de Haja Coração, mãe da mocinha Tancinha (Mariana Ximenes).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Tempo de Amar, Marisa surgiu como a imponente cantora de fado Celeste Hermínia. A personagem chamou a atenção de cara, seja pelo nome pomposo, pela bela voz, e pelo conflito que vivia: sua relação com o Conselheiro Francisco Alcino (Werner Schünemann), um homem casado, cuja esposa doente vivia em estado vegetativo. Como se não bastasse o drama amoroso, que ainda se arrasta na história, descobrimos recentemente que a cantora é a mãe de Maria Vitória (Vitória Strada), a mocinha do enredo.

Assim, Celeste Hermínia, que já era uma personagem forte e humana, tornou-se ainda maior agora que exerce, também, o papel de mãe. Os encontros e conversas entre ela e sua filha Vitória são encantadores, cheios de sensibilidade e amor. São sempre cenas vigorosas, que deixam claro o talento de suas intérpretes. Além disso, Celeste Hermínia, neste momento em que está separada do Conselheiro, reencontra seu ex-marido José Augusto (Tony Ramos), que fez muito mal a ela no passado. Ao mesmo tempo, o pai de Vitória também se envolve com Lucerne (Regina Duarte), que está de olho no dinheiro dele.

Ou seja, neste momento da obra, Celeste Hermínia desponta como a protagonista madura de Tempo de Amar. E Marisa Orth está simplesmente fantástica como a personagem, sem dúvidas vivendo um de seus melhores momentos na TV. Atriz minimalista, detalhista e sensível, Marisa faz de sua Celeste Hermínia uma mulher forte, adorável, cheia de contradições. Humana, com muita dignidade. Num elenco repleto de estrelas, Marisa se destaca ao mostrar uma faceta sua que foi pouco explorada na televisão até então.

Em ótima estreia, Dancing Brasil se firma como o melhor programa da Record

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio