Moacyr Franco engrossa a lista dos veteranos sem espaço na TV

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entre tantos cortes que aconteceram este ano no SBT, um dos mais surpreendentes, sem dúvidas, é o de Moacyr Franco. Dispensado pela emissora nesta semana, o artista, que dava expediente em A Praça É Nossa, engrossa não apenas a lista de demissões do canal de Silvio Santos, mas também a lista dos veteranos da TV que se veem com cada vez menos espaço na telinha.

Showman da melhor qualidade, Moacyr Franco já ocupava muito menos espaço do que merecia. No passado, fez sucesso com o programa que levava o seu nome, tornando-se um dos principais apresentadores da televisão brasileira. Seu Moacyr Franco Show era uma das grandes atrações dos primeiros anos da Globo, e também bateu ponto no início do SBT. Isso sem falar no talento de Moacyr como cantor, compositor e roteirista, além da veia pulsante de comediante, vista em seus personagens nas antigas versões da própria Praça. Um dos principais deles, o Mendigo, é lembrado até hoje.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após um tempo sumido da TV, Moacyr retornou ao SBT em 1997, quando fez de tudo. Comandou os programas de auditório Concurso de Paródias e Pequenos Brilhantes, sempre com sua simpatia peculiar, e também roteirizou e protagonizou humorísticos de sucesso, como Ô Coitado!, ao lado de Gorete Milagres, e Meu Cunhado, onde formou uma dobradinha vitoriosa com o genial Ronald Golias.

Ao fim destes projetos, Moacyr se estabeleceu no banco de A Praça É Nossa, onde viveu por muitos anos o Jeca Gay, sempre um dos personagens mais queridos do humorístico. Recentemente, deu vida também ao tipo Gabriel. Como já dito, um espaço pequeno para um artista do quilate dele. Mas, como não existe pequeno espaço que um grande artista não seja capaz de ampliar, Moacyr fez de sua presença na Praça algo sempre muito marcante. Num elenco já escasso de humoristas da velha guarda, a ausência de Moacyr será muito sentida.

Moacyr se junta a um time de veteranos que já não encontra espaço na televisão, como Renato Aragão e Jô Soares (e que Chico Anysio também encarou até a sua morte), grandes nomes da “velha guarda” que encaram uma espécie de “aposentadoria forçada” na TV. Uma pena.

Pretensiosa, Apocalipse é uma aposta ousada da Record

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio