Efeitos chamam a atenção, mas atuações de primeiro capítulo de Apocalipse deixam a desejar

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não dá pra dizer que foi uma estreia ruim. Seria leviano afirmar isso do primeiro capítulo de Apocalipse, nova novela bíblica da RecordTV, que estreou na noite desta terça-feira (21), com a missão de subir os números da faixa das 20h45.

O principal desafio de Apocalipse é aumentar o que O Rico e Lázaro marcava de Ibope, algo em torno de 10 pontos na Grande São Paulo, bem abaixo de A Terra Prometida e do sucesso Os Dez Mandamentos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Paloma Bernardi fala sobre sua expectativa para Apocalipse: “Vai gerar burburinho”

Na primeira noite, o tão famigerado tsunami prometido pela emissora não impressionou, mas a cena ficou, sim, bem feita. Exibida logo nos primeiros dez minutos de capítulo, houve um capricho técnico visível e os efeitos especial foram bons para os padrões da TV brasileira.

Também aconteceu uma cena de perseguição que também trouxe adrenalina e emoção na medida certa. Seus realizadores também merecem destaque e elogios.

Outro ponto positivo foi a fotografia, não só desta cena, mas do capítulo em si. Figurinos e cenografia também merecem boas notas. Mas o capítulo não foi perfeito. Bem longe disso, por sinal.

O texto de Vivian de Oliveira continua com os mesmos problemas de Os Dez Mandamentos: expositivo, raso e estranho muitas vezes, prejudicando muito o desempenho dos atores.

Alias, o grande ponto fraco do primeiro capítulo foi justamente este: atuação. Praticamente todos os que passaram tiveram desempenho abaixo da crítica. A cena do tsunami, por exemplo, só não foi melhor porque os atores envolvidos nela tiveram desempenho de médio para fraco.

Até Lucinha Lins, pasmem, notoriamente uma das atrizes mais capacitadas do casting da RecordTV, foi mal nas cenas em que apareceu neste primeiro capítulo. Não houve exatamente um pior dos piores. Atuar mal foi algo generalizado.

A direção de Edson Spinello mandou bem na carga visual, mas deixou muito a desejar na direção de atores. Para os próximos capítulos, o desafio é tentar melhorar a primeira impressão.

E a tendência é piorar, já que o trio protagonista está longe de ser um primor nesse sentido – principalmente Sérgio Marone, que lembramos bem como “atuou” em Os Dez Mandamentos.

Apocalipse tem bons elementos, boas ideias e bons efeitos visuais. Mas, pelo menos neste primeiro capítulo, deixou a desejar em alguns pontos. Foi uma estreia ok pra boa. A ver como será daqui pra frente.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio