Mais conservadora que Vade Retro, A Fórmula estreia sem novidades

Publicado há 4 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na noite de ontem (06), a Globo estreou sua mais nova aposta na linha de shows, a comédia A Fórmula. Protagonizada por Drica Moraes, Fábio Assunção e Luisa Arraes, a trama vai na contramão da história que substitui, Vade Retro. Enquanto esta última apostava num humor mais atrevido, brincando com o terror e elementos sacros, A Fórmula já conta com um humor mais fácil, exibindo um texto tão leve que poderia ir ao ar no meio da tarde. A série é escrita por Marcelo Saback e Mauro Wilson.

A premissa é interessante. A cientista Angélica (Drica Moraes) inventa uma fórmula que a deixa com a aparência que tinha há 30 anos. Afrodite (Luisa Arraes), como ela chama sua versão mais jovem, desperta a paixão de Ricardo (Fábio Assunção), com quem teve um relacionamento há 30 anos, e que chegou ao fim cheio de questões mal-resolvidas. O reencontro entre Angélica e Ricardo, 30 anos depois, acontece cheio de mágoas e ressentimentos. Já o aparecimento de Afrodite desperta a paixão, o saudosismo e até o ciúme.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entretanto, a temática é explorada de maneira que até diverte, mas não chega a surpreender. Falta ao texto de A Fórmula a esperteza vista em Mister Brau, por exemplo, que consegue surpreender mesmo diante de temáticas já vistas e revistas tantas e tantas vezes. A Grande Família é outro exemplo de série de humor popular que sabia sair do lugar-comum de maneira de fácil compreensão. Já A Fórmula, ao menos neste primeiro episódio, não surpreendeu. Explorou o reencontro dos protagonistas de maneira um tanto previsível.

Se o texto não chamou muito a atenção nesta estreia, o mesmo não se pode dizer do elenco. A performance de Drica Moraes e Luisa Arraes impressiona pela excepcional sincronia. As duas atrizes não deixam dúvida ao espectador de que vivem a mesma personagem, do gestual ao tom de voz. Elas estão em total sintonia, dando uma unidade incrível à Angélica/Afrodite. O desempenho das duas atrizes é o grande charme da série e convida o público a seguir acompanhando.

A Fórmula só não teve a sorte de estrear justo na linha de shows das quintas-feiras, dia em que a direção da Globo promoveu a inversão do horário entre a série e Os Dias Eram Assim. Em razão do fraco desempenho de audiência de Vade Retro, a emissora jogou a série para mais tarde no intuito de “salvar” a novela das onze (ou “supersérie”). Agora, A Fórmula já estreia neste novo horário. Mas a comédia é tão leve e despretensiosa, que provavelmente faria mais sucesso se exibida mais cedo.

Paolla Oliveira se livra do estigma da mocinha chata em A Força do Querer

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio