“Vi em Rebeca Andrade algo especial”, diz repórter de entrevista que viralizou

Vídeo de ginasta com Daiane dos Santos em 2009 ultrapassou 1 milhão de acessos e foi ao ar até no Jornal Nacional

Publicado em 4/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma Rebeca Andrade ainda criança viralizou ao falar sobre o treinamento ao lado de Daiane dos Santos. A entrevista, gravada em 2009, foi parar até no Jornal Nacional após o desempenho histórico da atleta de 22 anos nos Jogos Olímpicos de Tóquio, com duas medalhas inéditas para a ginástica feminina do Brasil. A jornalista que a conheceu uma década atrás se impressiona com o sucesso repentino de seu antigo material. A coluna a encontrou.

A repórter se chama Caroline Campos. Atualmente, é editora de texto no SBT, mas conversou com a campeã brasileira quando trabalhava para a Secretaria de Comunicação de Guarulhos, cidade da Grande São Paulo onde a ginasta começou a treinar. A reportagem mostrou a visita de Daiane dos Santos e Lais Souza ao ginásio municipal. As atletas olímpicas conheceram meninas que as viam como referências no esporte. Entre elas, Rebeca Andrade, então com 10 anos, que participou da entrevista.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“É bom porque a gente pode ver o trabalho das pequenas, de quem está evoluindo agora”, afirmou Daiane dos Santos no vídeo. “Às vezes, eu não estava conseguindo fazer alguma coisa e elas estavam me ensinando”, comemorou Rebeca Andrade à repórter.

O material viralizou depois que Rebeca conquistou a medalha de prata na categoria individual geral. Daiane dos Santos chorou ao vivo na Globo ao parabenizar a atleta e reforçar a importância da representatividade negra na modalidade. A entrevista de 2009 ganhou ares de “premonitória”, com o passado e o presente da ginástica feminina no Brasil, foi compartilhada por influenciadores como Felipe Neto e, em menos de 24 horas, já havia ultrapassado 1 milhão de acessos no Twitter.

A repercussão de uma reportagem de mais de uma década surpreendeu Caroline, que depois trabalhou como apresentadora de telejornal na RIT TV e como editora de texto na CNN Brasil. A jornalista estava viajando no instante em que Rebeca conquistava suas medalhas olímpicas. De volta para casa, recebeu dezenas de mensagens dos colegas e viu sua entrevista com a ginasta em dezenas de programas.

“Começou a repercussão na prata, enquanto eu viajava. Quando vi no celular que ela ganhou o ouro, pensei: ‘Agora vai repercutir mais ainda!’ (risos) Tenho uma vaga lembrança, mas eu acredito que escolhi a Rebeca. Às vezes, eu pedia para o professor indicar quem falava melhor ou quem se saía bem nos treinos. Não consigo lembrar por que quis conversar com ela, mas é gratificante ver, depois de tanto tempo, o trabalho reconhecido. Que bom que naquele momento pude ver alguma coisa especial na Rebeca, e realmente era tão especial porque ela não chegou aonde chegou à toa. Ela vem de um trabalho intenso desde muito tempo. A rotina das ginastas é uma loucura”, conta Caroline Campos à coluna.

A rotina da jornalista também pode ser considerada uma “loucura”. Ela bate ponto nas madrugadas do SBT, onde integra a equipe do Primeiro Impacto, e ainda cuida de seus dois filhos, de 6 e 2 anos, ao lado do marido, Rafael Barbosa, que foi o cinegrafista da reportagem que viralizou. “Guarulhos me rendeu um casamento”, brinca Caroline. Casados desde 2014, eles começaram a namorar no mesmo ano em que entrevistaram Rebeca Andrade.

A profissional, que acompanha a ginástica desde seu trabalho em Guarulhos, resgatou boas lembranças da época quando Rebeca triunfou em Tóquio, o que lhe rendeu o posto de porta-bandeira da delegação brasileira no encerramento dos Jogos Olímpicos, no próximo domingo (8). Além de ter comemorado as medalhas como torcedora, Caroline se viu no lugar de Dona Rosa, mãe da atleta e principal incentivadora da filha.

“Fiquei muito feliz por ela ter ganhado, senti gratidão e satisfação de ter visto aquela menina pequenininha, dando seus pulinhos em Guarulhos, e que trilhou um caminho tão bacana e chegou lá. É medalha de ouro, considerada melhor do mundo no que faz. Como mãe, já me veio à cabeça a alegria da mãe dela. Eu estaria saltitando, gritando! Comemoramos cada conquista dos filhos, imagine uma medalha de ouro!”, celebra.

A jornalista Caroline Campos ao lado do marido, Rafael Barbosa, e dos dois filhos (Caroline Campos/Arquivo pessoal)

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio