“Tia” Glenda Kozlowski dá show em Tóquio e mostra que existe Olimpíada fora da Globo

Apresentadora integra o Time Brasil e consegue entrevistas exclusivas com atletas para a Band

Publicado em 26/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quando o assunto é Olimpíada, é impossível competir com a Globo. Detentora exclusiva dos direitos exclusivos de transmissão dos Jogos de Tóquio, a emissora envolveu 500 profissionais (sendo 53 no Japão), entre eles suas principais grifes do jornalismo esportivo. Embora seja imbatível, não é perfeita. Na Band e nas redes sociais, uma ex-global se destaca como correspondente dentro da concentração brasileira: Glenda Kozlowski.

Com mais de duas décadas de história da Globo, Glenda se tornou o “rosto” do esporte na TV não apenas para o público, mas também para os atletas que disputam medalhas em Tóquio. Mesmo sem ostentar o cobiçado microfone branco da rede carioca, da qual saiu em outubro de 2019, a apresentadora consegue entrevistas exclusivas e bastidores das competições como integrante do Time Brasil.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Só ter livre acesso à delegação, no entanto, não basta para entregar bons conteúdos. Glenda gasta toda sua experiência na comunicação e aproveita sua proximidade com os atletas, obtida em mais de 20 anos na TV, como diferenciais para produzir uma cobertura tão boa ou até melhor do que a da Globo.

Se jornalismo fosse modalidade olímpica, Glenda certamente estaria no pódio. Ela se desdobra para mostrar a preparação brasileira durante os Jogos em seu perfil no Instagram, para as redes do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e o canal da patrocinadora do Time Brasil. Além da internet, a apresentadora bate ponto nos canais do Grupo Bandeirantes: comanda o Show do Esporte com Elia Junior na Band, grava para a BandNews na TV e no rádio e participa do canal pago BandSports, que transmite a Tóquio-2020.

Glenda, como uma carta “super trunfo” da Band, já entrevistou o surfista Gabriel Medina deitada no “centro de treinamento” do Time Brasil e o deixou à vontade para desabafar sobre a ausência da mulher, Yasmin Brunet, que não pôde viajar com ele para Tóquio.

E quando Glenda é personagem de uma conquista histórica para o esporte brasileiro? Para exaltar a medalha de prata conquistada no skate por Rayssa Leal, de apenas 13 anos, a Globo precisou relembrar sua ex-contratada, que recebeu a garotinha no Esporte Espetacular, em 2015. O momento em que a “Fadinha” conheceu Letícia Bufoni, hoje sua parceira no Time Brasil, viralizou nas redes sociais.

Após conquistar a prata como atleta mais jovem do Brasil e subir ao pódio em uma Olimpíada, Rayssa Leal reencontrou Glenda Kozlowski no “QG” do Time Brasil. Aos prantos, a apresentadora foi consolada pela skatista em um vídeo emocionante: “Não chora, não. Naquele tempo fui eu que chorei, agora é você que está chorando? Obrigada, tia!”.

Obrigado, “tia”, Glenda, por fazer parte da história olímpica do Brasil nos Jogos de Tóquio!

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio