Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Jogos Olímpicos

“Tia” Glenda Kozlowski dá show em Tóquio e mostra que existe Olimpíada fora da Globo

Apresentadora integra o Time Brasil e consegue entrevistas exclusivas com atletas para a Band

Publicado em 26/07/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Quando o assunto é Olimpíada, é impossível competir com a Globo. Detentora exclusiva dos direitos exclusivos de transmissão dos Jogos de Tóquio, a emissora envolveu 500 profissionais (sendo 53 no Japão), entre eles suas principais grifes do jornalismo esportivo. Embora seja imbatível, não é perfeita. Na Band e nas redes sociais, uma ex-global se destaca como correspondente dentro da concentração brasileira: Glenda Kozlowski.

Com mais de duas décadas de história da Globo, Glenda se tornou o “rosto” do esporte na TV não apenas para o público, mas também para os atletas que disputam medalhas em Tóquio. Mesmo sem ostentar o cobiçado microfone branco da rede carioca, da qual saiu em outubro de 2019, a apresentadora consegue entrevistas exclusivas e bastidores das competições como integrante do Time Brasil.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Só ter livre acesso à delegação, no entanto, não basta para entregar bons conteúdos. Glenda gasta toda sua experiência na comunicação e aproveita sua proximidade com os atletas, obtida em mais de 20 anos na TV, como diferenciais para produzir uma cobertura tão boa ou até melhor do que a da Globo.

Se jornalismo fosse modalidade olímpica, Glenda certamente estaria no pódio. Ela se desdobra para mostrar a preparação brasileira durante os Jogos em seu perfil no Instagram, para as redes do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e o canal da patrocinadora do Time Brasil. Além da internet, a apresentadora bate ponto nos canais do Grupo Bandeirantes: comanda o Show do Esporte com Elia Junior na Band, grava para a BandNews na TV e no rádio e participa do canal pago BandSports, que transmite a Tóquio-2020.

Glenda, como uma carta “super trunfo” da Band, já entrevistou o surfista Gabriel Medina deitada no “centro de treinamento” do Time Brasil e o deixou à vontade para desabafar sobre a ausência da mulher, Yasmin Brunet, que não pôde viajar com ele para Tóquio.

E quando Glenda é personagem de uma conquista histórica para o esporte brasileiro? Para exaltar a medalha de prata conquistada no skate por Rayssa Leal, de apenas 13 anos, a Globo precisou relembrar sua ex-contratada, que recebeu a garotinha no Esporte Espetacular, em 2015. O momento em que a “Fadinha” conheceu Letícia Bufoni, hoje sua parceira no Time Brasil, viralizou nas redes sociais.

Após conquistar a prata como atleta mais jovem do Brasil e subir ao pódio em uma Olimpíada, Rayssa Leal reencontrou Glenda Kozlowski no “QG” do Time Brasil. Aos prantos, a apresentadora foi consolada pela skatista em um vídeo emocionante: “Não chora, não. Naquele tempo fui eu que chorei, agora é você que está chorando? Obrigada, tia!”.

Obrigado, “tia”, Glenda, por fazer parte da história olímpica do Brasil nos Jogos de Tóquio!

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....