Sem abraço, elenco da Praça se emociona em reestreia; confira os bastidores

Vacinado, Carlos Alberto de Nóbrega voltou a gravar humorístico do SBT na última terça-feira

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após mais de um ano, Carlos Alberto de Nóbrega e seus atores pisaram no cenário de A Praça É Nossa na última terça-feira (13), para gravar o primeiro programa inédito na pandemia. A coluna entrevistou parte do elenco, que não se via desde março de 2020. Eles não puderam se abraçar, porém se emocionaram ao rever os colegas e o líder do programa, vacinado contra o coronavírus aos 85 anos.

O SBT adotou medidas de segurança para evitar a propagação do vírus e proteger os funcionários durante a gravação. Sem plateia nem figurantes, Carlos Alberto escalou 30 atores para a primeira gravação, entre humoristas e elenco de apoio. Todos precisaram ser examinados e só puderam trabalhar com o resultado negativo. A coluna apurou que também foram chamados artistas substitutos caso algum titular fosse diagnosticado com a Covid-19, porém não chegaram a atuar porque ninguém testou positivo para a doença.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dos veteranos, Matheus Ceará foi o primeiro a gravar com Carlos Alberto e mostrou em seu Instagram a principal mudança da nova Praça: os dois bancos para aumentar o distanciamento entre o comediante e o elenco. A mudança foi fundamental para a gravação do quadro com maior aglomeração, Os Malandros: Mané Marreco (Raphael Carvalho), Zé Olhinho (Jeffinho Farias) e Dardinho (Duca Pantaleão).

Carlos Alberto de Nóbrega na nova Praça, com dois bancos (Reprodução/Instagram)

“Todo mundo voltou como se fosse uma pegadinha: ‘Será que vai ter semana que vem?’. Ficamos em um banco separado. Por causa da pandemia, todos ficaram no outro, afastados do Carlos Alberto. E todos nós fizemos teste, foi tudo muito seguro”, afirma Raphael Carvalho, que também assina os roteiros do humorístico.

Giovani Braz e Marlei Cevada, ambos há mais de uma década no humorístico, participaram da reestreia. A intérprete de Nina admite que o programa voltou na hora certa para ajudá-la a lidar com a perda do pai, há um mês.

“Além de ser pai, ele torcia muito por mim. Ele sempre botou fé em mim. Fiquei sem chão. Estava bem triste, até pensei que não conseguiria escrever, mas pensei que, se eu ficasse em casa, ficaria triste até quando? Decidi vir e foi melhor. Eu realmente tinha que estar aqui e meu pai se orgulhou de mim. Comecei a viver de novo”, desabafa Marlei, emocionada.

A pandemia esteve presente não apenas nos protocolos do SBT, mas também no roteiro da Praça. Humoristas aproveitaram temas como quarentena e vacinação em suas piadas. “Perguntamos para o seu Carlos se podíamos abraçá-lo. O texto também é uma mensagem de incentivo para o público manter a calma, porque daqui a pouco voltaremos à vida normal, se é que tivemos uma”, brinca Marlei, que na próxima gravação interpretará o mendigo Sangue.

Alexandre Porpetone e Viny Vieira imitaram dois rivais durante a pandemia: o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo João Doria. “O bicho pegou ali (risos). Foi bom voltar para falar das coisas atuais, da quarentena, do Bolsonaro contra o Doria. É uma coisa que todos estamos vivendo. Não podíamos falar do Carnaval porque não aconteceu”, explica Porpetone.

“Ataquei muito o Bolsonaro, até saí do texto e improvisei. Chamei-o de negacionista, de espalhador de fake news que todo mundo iria virar jacaré. O Carlos Alberto gostou muito, estava bem emocionado na gravação. Quando ele pegou Covid, falou comigo: ‘Não me abandone não! Vou vencer isso, a Praça vai voltar e eu preciso de você!’”, relembra Viny.

Mascarados, Alexandre Porpetone e Viny Vieira imitam gestos de Jair Bolsonaro e João Doria (Montagem/Reprodução/Instagram)

Ex-participante de A Fazenda 11, Viny Vieira teve a companhia de outros dois ex-peões na primeira gravação da Praça: Caique Aguiar, finalista da décima edição, e Luiza Ambiel, destaque da 12ª temporada. Eles ajudaram a compor o atual elenco do programa, desfalcado no ano passado com as saídas de Maurício Manfrini (Paulinho Gogó) e a trupe do Café com Bobagem.

“Retornar às gravações foi muito gratificante, porque estamos isolados há mais de um ano. Poder trazer um pouquinho de riso para o pessoal de casa, nessa época difícil que estamos vivendo, é muito legal, porque voltamos a trabalhar e fazemos o público sorrir”, comemora Caique Aguiar.

“Carlos me chamou para voltar, e não dá para dizer não a ele nem à casa que me projetou. Como a Praça tem mais gente e tenho amigos de muitos anos, foi complicado. Tomamos pito atrás de pito, porque mesmo com máscara e teste negativo a gente esquece. Passamos texto de máscara, olhamos para os colegas e não sabemos se os outros estavam rindo”, diz Ambiel.

Elenco da Praça passa por teste de Covid; à direita, Carlos Alberto grava com ajuda de dália (Montagem/Reprodução/Instagram)

Alguns hábitos do elenco também precisaram mudar. A leitura do roteiro, que acontecia no camarim de Carlos Alberto, só pôde ser feita já no banco da Praça, momentos antes da gravação. Prejudicado pela perda de memória recente como sequela da Covid-19, o comediante teve a ajuda de uma “cola” próximo à câmera (conhecida na TV como dália). Os atores, que antes ficavam dentro do estúdio esperando a vez para contracenar, tiveram que esperar do lado de fora para evitar aglomeração.

“Senti falta da risada da plateia, no estúdio só ficamos nós e distantes do Carlos Alberto. Foi como contar piada para ninguém, com o teatro vazio”, compara Porpetone.

“Não podíamos ver o colega fazendo. Quando gravei, já precisei ir embora. Foi mais frio, mas estávamos todos animados para voltar”, declara Renata Brás, intérprete da Ciumenta. A atriz revela que, para resgatar a “química” com Davi Novaes, seu parceiro de cena, a solução foi ensaiar pelo celular.

“Carlos Alberto me chamou para gravar quando eu estava na estrada, voltando de viagem. Ensaiei com o Davi pelo celular porque não haveria ensaio presencial, só uma passada de texto. Foi uma decisão nossa. Não fazíamos o quadro há mais de um ano”, conta a atriz.

A Praça É Nossa terá mais uma gravação nesta quinta-feira (15). O primeiro programa inédito irá ao ar no dia 22, às 23h, no SBT.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio