Repórter do SBT se recupera da Covid e cumpre promessa a tia vítima da doença

Fernanda Arantes cobrirá jogo do Atlético-MG, time do coração da familiar, pela Libertadores

Publicado em 5/25/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Recuperada da Covid-19, a repórter Fernanda Arantes, do SBT, passará por outro teste nesta terça-feira (25): o da emoção. Ela voltará a cobrir a Copa Libertadores da América em sua “terra natal”, Minas Gerais, em um jogo que certamente sua fã número 1 iria ver pela TV: Ana Maria Costa Brigido, tia-avó da jornalista, torcedora do Atlético-MG e uma das mais de 450 mil vítimas do coronavírus.

Procurada pela coluna, Fernanda revela sua torcida por uma vitória do Galo contra o La Guaira (VEN) e conta como irá controlar a saudade e a tristeza durante a transmissão. A repórter chegou a prometer à tia, que a acompanhou desde o início da profissão, de que um dia cobriria o time do coração dela pela Libertadores. Ana Maria morreu em abril, depois de passar um mês internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O SBT me deu muito suporte quando eu perdi minha tia. Foi um choque grande. Ninguém sabe quando vai ser com a sua família. [Voltar ao trabalho] será emocionante para mim, mas como todo jogo preciso estar muito bem preparada. Assim que começo a transmissão, ligo a chavinha e vejo tudo de uma forma técnica. Acredito que temos, sim, que viver cada momento especial na nossa vida, dar significado às coisas, mas também sei a responsabilidade do trabalho que preciso entregar e a grandiosidade da empresa que represento. Estarei tranquila e extremamente preparada para a hora do jogo”, afirma.

Destaque na cobertura da Libertadores pelo SBT, Fernanda ficou três semanas afastada após testar positivo para o coronavírus. Na última quarta, recebeu o sonhado diagnóstico negativo e foi liberada pelo departamento médico da emissora. “Tive sintomas como muita febre e dor no corpo”, relata a profissional, que pisará novamente no estádio onde deu o pontapé inicial no jornalismo, como repórter da TV Cruzeiro.

“Fui escalada, mas já havia pedido para que me deixassem fazer jogos em Minas, minha terrinha. O Mineirão foi onde comecei minha carreira, trabalhei todos os finais de semana em 2016. Já revi meu irmão, que mora na capital. Estou muito emocionada. Vai ser demais! Que me desculpe o La Guaira, mas que o Galo vença hoje. Estou na torcida pelo time da minha tia”, celebra a jornalista, nascida em Curvelo (170 quilômetros de Belo Horizonte).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio