Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Saída

Repórter de afiliada da Globo pede demissão e se despede na véspera do Ano-Novo

Aline Galdino decide voltar para a Paraíba após nove meses na TV Tem, afiliada do interior paulista

Publicado em 30/12/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A jornalista Aline Galdino, de 28 anos, anunciou sua saída da TV Tem, afiliada da Globo no interior de São Paulo. Ela entrou ao vivo pela última vez no Bom Dia SP desta quinta-feira (30) para informar o trânsito na rodovia Castello Branco, em Itapetininga. A repórter, que havia sido contratada em março, pediu demissão e decidiu voltar à Paraíba, seu estado natal, para ficar mais perto da família na virada para 2022.

Em sua rede social, Aline Galdino agradeceu à cidade de Itapetininga pelo acolhimento e explicou aos seguidores por que se demitiu da TV Tem.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

“Às vezes na vida, por mais que a gente ame uma coisa ou uma pessoa, a gente tem que tomar certas decisões para que outras coisas venham a acontecer. Aquela frase ‘amar também é deixar ir’ nunca fez tanto sentido para mim como neste ano. Já no começo de 2021 eu tinha uma perspectiva de planos e metas tão diferentes das que hoje, em dezembro, eu me vejo realizando. No começo deste ano, também abri mão de um grande amor da minha vida, principalmente para enxergar que o mundo gira em torno da gente, só que para ele girar é a gente que tem que fazer as coisas acontecerem. Por mais que a gente ame uma situação, como eu amo o jornalismo, precisei deixar ir, não para deixar de existir, mas para que as coisas aconteçam”, disse a repórter.

Antes de se mudar para o interior paulista, Aline Galdino passou por afiliadas paraibanas de Globo, SBT, Band e Record, onde trabalhava como repórter e apresentadora antes de assinar com a TV Tem. Em pouco tempo em Itapetininga, ela conquistou notoriedade e espaço em rede nacional. Em novembro, conduziu a cobertura do caso Susana, mulher vítima de feminicídio em Itapetininga, que repercutiu em quase todos os telejornais da Globo. O trabalho da jornalista pôde ser visto no Hora 1, Bom Dia Brasil e Jornal Hoje, além dos noticiosos locais.

“Quero agradecer a todo mundo que encontrei na rua e no Instagram, que falava do meu sotaque, que gostava do meu jeito, dos ‘ao vivos’, que vocês costumavam dizer que eram muito conversados, parecia que estava em casa, e essa sou eu, gente. Esse é o meu jeito de fazer jornalismo e comunicação. Obrigada de coração”, continuou a jornalista em sua mensagem de despedida.

A linguagem informal de Aline, sem deixar de ser informativa, chamou a atenção do público nestes nove meses no ar. A repórter preservava suas raízes nordestinas por meio do sotaque e de palavras típicas do vocabulário paraibano. Em outubro, durante uma de suas transmissões ao vivo no Bom Dia SP, “entregou” uma dúvida da própria mãe sobre o mau humor de Rodrigo Bocardi.

Aline ainda sempre carregava em seu pescoço um colar com um pingente de cacto. A forte ligação com a Paraíba fez a jornalista estrelar uma bela campanha da TV Tem em homenagem ao Dia do Nordestino.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....