MP investiga padre que xingou casal de jornalistas da Globo de “veadinhos”

Líder religioso usou missa para ofender repórteres casados desde 2018

Publicado em 16/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O MPMT (Ministério Público do Estado de Mato Grosso) abriu investigação contra o padre Paulo Antônio Müller, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Tapurah (a 451 km de Cuiabá), que durante uma missa chamou os repórteres Pedro Figueiredo e Erick Rianelli, da Globo, de “veadinhos”.

“A gente gente faz o namoro não como a Globo apresentou essa semana, dois ‘veados’, desculpa, mas dois ‘veados’, um repórter para um veadinho chamado Pedrinho. ‘Ai, faz o almoço que eu estou chegando’. Ridículo”, disse o padre ao defender o casamento apenas entre um homem e mulher. As declarações foram homofóbicas e os jornalistas da Globo estão casados há três anos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O Ministério Público do Estado de Mato Grosso informou que instaurou procedimento investigatório para apurar os fatos e colher os subsídios necessários para adoção de medida judicial cabível. O Ministério Público Estadual, por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos e Diversidades, repudia qualquer tipo de discurso de ódio. Reitera que as declarações efetuadas pelo padre extrapolaram a liberdade religiosa e que podem até mesmo resultar na propositura de medidas extrajudiciais, de ação civil pública por dano moral coletivo causado à sociedade, bem como ação penal, por eventual crime cometido”, informou o MP em nota.

O casal de jornalistas recebeu apoio de colegas da imprensa, telespectadores e do padre Júlio Lancellotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo e uma das mais importantes lideranças católicas no Brasil.

Em seu Instagram, Pedro Figueiredo compartilhou o vídeo ironizado pelo padre, em que seu marido, Erick Rianelli, lhe fez uma declaração de amor surpresa ao vivo no Bom Dia RJ, telejornal local da Globo para o Rio de Janeiro, no Dia dos Namorados de 2020. “A Oração de São Francisco diz: ‘Onde houver ódio, que eu leve o amor’. É assim que vamos seguir em frente”, protestou o jornalista.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio