Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Exclusivo

Jornalista vira confeiteira e bomba na web ao trocar fake news por bolos fake: “Amo enganar as pessoas”

Ex-Bake Off, Ananda Vasconcelos confunde público com doces em forma de cebola, coxinha e até esponja

Publicado em 24/05/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

É bolo ou fake? A arte de produzir bolos realistas vem conquistando espaço em programas como Eliana (SBT) e Domingão com Huck (Globo). A TV descobriu que dá audiência fazer pessoas adivinharem se um telefone, por exemplo, é feito de metal ou de chocolate. Este segmento da confeitaria ganhou uma curiosa representante no país: uma jornalista que trocou o combate às fake news pela arte de enganar o público com bolos falsos, idênticos a outros itens do cotidiano.

Ananda Vasconcelos, de 29 anos, trabalha um canal de finanças, mas viralizou nas redes sociais ao produzir bolos com formato de maçã, banana, gema de ovo, carne esponja e até sabonete, com direito a mordida! No TikTok, há vídeos com 11 milhões de acessos. Em entrevista exclusiva à coluna, ela admite que o sucesso a surpreendeu, já que iniciou na confeitaria há apenas um ano, quando participou da sétima temporada do Bake Off Brasil, reality show do SBT.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

“Nunca imaginei na minha vida que fosse bombar. Sei lá, auto-estima baixa (risos). Quando acabou o Bake Off, pensei em continuar fazendo bolos, mas não queria vender. É o meu hobby, faço porque gosto. Mas tinha que fazer uma coisa muito diferente, porque bolo redondo todo mundo faz. Pesquisei uma técnica para fazer a casca da cebola, que foi meu primeiro bolo realista. Levei mais de um dia, porque cada folha da cebola demora 24 horas para secar. Ficou igualzinho! Postei, deu mais de 1 milhão de views no TikTok. As pessoas gostaram! Quando falam ‘nossa, tinha certeza!’, falo ‘obrigada, cumpri meu papel’. Estou realizada! Nunca pensei que fosse chegar a esse ponto na vida. Eu faço as coisas para enganar as pessoas e fico feliz quando consigo! Já fui repórter no SBT, mas não me vejo mais passando perrengue na rua. Gosto mesmo de criar conteúdos para redes sociais”, comemora Ananda.

@anandavasconcelos

Quem acertou que a cebola era bolo? 😂 A casca foi feita com papel de arroz! #bolo #cakedesign #fy #fyp #confeitaria

♬ Table For 2 – Alok & IRO

Os conteúdos também viralizaram no Instagram, com vídeos acima de 1 milhão de visualizações. O excelente desempenho na web rendeu à jovem confeiteira (e experiente jornalista) contratos publicitários e convites para programas. Recentemente, participou do The Chef, na Band, e tentou confundir o apresentador Edu Guedes. Sobrou para o colega Lucas Salles, que acabou mordendo um pimentão pensando ser um bolo.

Ananda Vasconcelos no Bake Off Brasil (Foto: Lourival Ribeiro/SBT).

O que é mais difícil: produzir bolos fake ou desmentir fake news?

Ananda também pregou peças na própria família, que aplaude o talento para a confeitaria. Ela chegou a produzir um bolo idêntico ao carro do pai para comemorar seu aniversário. “Quando termino, mostro primeiro para o meu namorado e os meus irmãos. Meu namorado às vezes abre a geladeira e vê uma cebola, mas é um bolo”, brinca.

Para produzir os bolos falsos, Ananda não gasta muito dinheiro pois o recheio é basicamente o mesmo, à base de pasta de chocolate. Apenas a técnica de preparo muda de acordo com o formato do objeto imitado. Ela pretende seguir na confeitaria e deseja unir o hobby à comunicação. Mas, afinal, o que é mais difícil: preparar um bolo fake ou desmentir uma fake news?

“Acho que é apurar uma notícia falsa é muito mais difícil. Você depende de vários fatores, muitas fontes para perguntar. O bolo não, você cria na hora, é a sua cabeça pensando. Já cansei dessa vida de desmentir notícia falsa. Fico mais atrás das câmeras, cuidando de estratégias para redes sociais da BM&C, mas estou levando dois trabalhos paralelos, o de produção de bolos e de jornalismo. Se eu ainda fosse repórter, talvez não conciliaria, porque acho que mistura muito, parece que você não é uma coisa nem outra. Talvez futuramente eu fique só na confeitaria, mas se for para largar o jornalismo quero viver de conteúdo na internet”, projeta.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....