Isso a Record não mostraria: Paulo Vieira “benze” Marcos Mion em estreia na Globo

Confira os bastidores da primeira gravação do Tem ou Não Tem com celebridades no Caldeirão

Publicado em 27/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Marcos Mion, definitivamente, virou a página da Record em sua estreia no Caldeirão. A primeira gravação, realizada na última quinta-feira (26), teve referências a programas clássicos do apresentador e rituais que seriam banidos de qualquer programa de sua antiga casa. O humorista Paulo Vieira, um dos convidados da atração, atuou como “benzedeiro” para proteger o novo contratado da Globo.

Em suas redes sociais, Mion já antecipou alguns “spoilers” do primeiro Tem ou Não Tem com celebridades, mas a coluna “entrega” mais detalhes da gravação. O apresentador foi surpreendido com um presente de Paulo Vieira, seu ex-colega da Record: um kit para afastar inveja e mau-olhado. “A Globo é muito legal, mas feche teu corpo que é muita inveja aqui nessa emissora”, brincou o humorista.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na sequência, Vieira entregou ao novo contratado global arruda, alho, sal grosso e até um esparadrapo para Mion tampar o umbigo quando gravar a vinheta de fim de ano! Além disso, “abençoou” a estreia com uma imagem de Santa Clara, padroeira da TV. Em um momento da gravação, o humorista tirou a folha de arruda do bolso e passou no corpo do apresentador em pleno palco.

O kit contra “olho gordo” contém itens usados pela igreja católica e por religiões de matriz africana. Tampar o umbigo, por exemplo, ajudaria a repelir energias negativas. Por isso, esta cena seria impensável na Record, emissora do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus. Basta lembrar que o canal evangélico chegou a cortar a palavra “mandinga” da música de Iza, em 2018. A imagem de uma santa, então, jamais iria ao ar na casa onde Mion trabalhou durante dez anos.

Na gincana remanescente do Caldeirão do Huck, famílias darão lugar a famosos e seus convidados. Paulo Vieira levou a namorada, Ilana Sales, e os amigos Dudu Guimarães e Paulo Manduca. No outro time, Juliana Paes foi acompanhada do irmão, Junior, e dos assessores Wander Fernandes e Raphaela Zugliani.

“Paulo Vieira é um cara que eu já conheço há muito tempo, é um gênio, uma metralhadora de genialidade humorística. Trouxe Manduca, Duduzera, Ilana, sua namorada, arrebentaram, foram incríveis. Paulo, você é um cara fora da realidade, sagacidade humorística, de inteligência”, elogiou Mion no Instagram, após a gravação.

“Ju Paes não conhecia de conversar, talvez já tivesse visto uma vez ou outra, um doce, uma energia, uma grandiosidade essa mulher, Nossa Senhora, gente boa, alto astral. Levou o Juninho, seu irmão de 2 metros de altura, a Rafa, sua empresária, o Vander, seu assessor, completando o time. Engraçado pra caramba ele tentando uma vaga para o Big Brother ali no meio do Tem ou Não Tem! E eu brincava falando: ‘Ô, Boninho! Boninho está assistindo!’. Foi muito legal, muito divertido”, contou o apresentador.

A Globo proibiu os convidados de publicarem fotos e vídeos dos bastidores para evitar vazamentos e não atrapalhar a divulgação da estreia. Cenários e outros detalhes do programa estão sendo guardados a sete chaves pela emissora, e os participantes do Tem ou Não Tem terão que segurar as postagens até 4 de setembro, quando for ao ar. Somente registros no camarim foram liberados para as redes sociais.

Bastidores da gravação do primeiro Tem ou Não Tem do Caldeirão com Marcos Mion (Montagem/Reproduç˜ão/Instagram)

Mion ainda revelou ter terminado a gravação completamente extenuado: “O final foi inacreditável! Eu fiquei sem voz, meu coração parecia que iria explodir. Eu fiquei cansado, tive que parar, não conseguia continuar. Não só eu, todo mundo”. Apesar da ansiedade e da alta carga emocional por sua estreia na Globo, o cansaço foi motivado por um esforço físico que ele não experimentava havia quase 20 anos. Os convidados celebraram com um “montinho”, brincadeira popularizada pelo apresentador no Descontrole, da Band, em 2002. A prática de pular em cima dos amigos, formando um “montinho humano”, virou febre nas escolas.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio