Há 17 anos, Band tentava transformar Kelly Key em “nova Xuxa” com Cavaleiros do Zodíaco

Cantora foi contratada por Marlene Mattos para apresentar programa infantil, mas gravidez alterou projeto

Publicado em 5/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em um 5 de julho como hoje, mas em 2004, a Band estreava Os Cavaleiros do Zodíaco, um dos animes mais populares no mundo, inclusive no Brasil, na extinta Manchete, em 1994 (quando “anime” ainda era chamado de “desenho japonês”). Além da deusa Atena, “Seiya e seus amigos” (como diria o locutor da animação) tiveram como missão salvar a então recém-contratada estrela da emissora: Kelly Key.

Acima da cantora, estava a nova “mestra” do “Santuário” da Band. Marlene Mattos havia chegado à emissora em janeiro daquele ano, após duas décadas dirigindo Xuxa Meneghel na Manchete e na Globo. Como diretora artística, mudou profundamente a programação, com menos sensacionalismo. Kelly Key, por exemplo, retirou 50 minutos do Brasil Urgente, irritando José Luiz Datena.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na prática, a Band trocou a violência do Brasil Urgente pela dos Cavaleiros. O anime com lutas sanguinolentas só pôde ser exibido às 17h30 mediante o corte de cenas pesadas para as crianças, público almejado pela emissora e por Marlene Mattos com a contratação de Kelly Key, que estava disposta a deixar de ser um símbolo sexual para virar uma “rainha dos baixinhos” (os Cavaleiros virariam “Paquitos” do Zodíaco?).

Este título, porém, já tinha dona: Xuxa. As comparações entre a ex e a atual queridinha de Marlene Mattos foram inevitáveis, e a diretora tratou de ir à imprensa e desmentir o interesse de “destronar” sua primeira pupila (coincidentemente ou não, as duas começaram nos programas infantis praticamente com a mesma idade: Xuxa estreou no Clube da Criança aos 20 anos, enquanto Kelly anunciou Cavaleiros com 21).

Mesmo sem “realeza”, Marlene Mattos ambicionou conquistar as crianças com Kelly Key. Além de Cavaleiros do Zodíaco, ela teria um programa com plateia, gincanas e entrevistas. A guinada na carreira, entretanto, precisou parar. Semanas antes de estrear na Band, a cantora descobriu que estava grávida de seu segundo filho, Jaime Vítor Freitas, fruto do relacionamento com o empresário angolano Mico Freitas iniciado naquele ano e que dura até hoje.

Apressada para lançar o programa infantil nas férias escolares, a Band decidiu simplificar a atração grandiosa de Kelly Key e a transformou em uma “anunciadora” de desenhos. Com dois episódios em um (e muitos cortes para não atrasar Datena), Cavaleiros atingiu picos de nove pontos na Grande São Paulo e só perdeu para a melhor temporada de Malhação, na opinião deste colunista (a da Vagabanda).

O mais próximo que Kelly Key chegou de um programa infantil foi o especial Contando Histórias, em que ela narrou fábulas na semana do Dia das Crianças e, claro, anunciando Cavaleiros. Também em outubro, Marlene Mattos foi demitida. Em dezembro, o contrato com Kelly Key, que iria até abril de 2005, foi rescindido.

Sem Kelly Key, Cavaleiros continuou por mais alguns meses no fim da tarde, até migrar para a hora do almoço e “devolver” a faixa para Datena em 2005. Sem Cavaleiros, Kelly Key embarcou de vez na carreira infantil e lançou o álbum do hit Barbie Girl.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio