Globo retoma gravação de série sobre Juliette após funcionário se recuperar da Covid-19

Funcionário da emissora havia contraído o coronavírus, mas cumpriu quarentena e testou negativo para a doença

Publicado em 15/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Globo retomou as gravações da série documental Você Nunca Esteve Sozinha, sobre Juliette Freire. Os trabalhos tinham sido parcialmente paralisados em função de um caso de Covid-19 na equipe da produção do Globoplay, porém o funcionário infectado testou negativo após cumprir quarentena em um hotel na cidade natal da campeã do BBB 21, Campina Grande (PB).

Segundo informou a emissora à coluna, “as gravações estão sendo finalizadas conforme previsto, com toda equipe testada e negativada”. Na última terça-feira (13), a plataforma de streaming disponibilizou o terceiro episódio da série.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O caso de Covid-19 dentro da equipe vinha sendo tratado com discrição pela Globo e pelo profissional, que não expôs publicamente seu diagnóstico. Entretanto, a notícia se espalhou rapidamente entre os moradores de Campina Grande, onde estão concentradas as principais filmagens do documentário, que terá seis episódios publicados semanalmente.

O primeiro, sobre a infância de Juliette na cidade paraibana, mostrou entrevistas com a campeã do BBB 21, a mãe dela, Fátima Freire, e amigos de escola, entre outros convidados que, em nenhum momento, apareceram utilizando máscaras de proteção contra o coronavírus, exceto em um trecho com quatro participantes juntos no pátio da escola onde a ex-sister estudou. Embora todos os entrevistados tenham sido examinados antes da filmagem, existe o risco de o teste dar falso negativo.

A Globo adotou protocolos rígidos que impediram o único caso positivo se transformar um surto de Covid-19 na equipe e permitiram a continuidade dos trabalhos. Por exemplo, reduziu o número de profissionais deslocados para a cidade natal de Juliette. Todos os responsáveis pela parte técnica, como cinegrafistas, assistentes e operadores de áudio, vestiram uniformes de desinfecção semelhantes aos de hospitais.

A coluna apurou que o profissional, que não terá seu nome e cargo revelados, ficou isolado durante duas semanas em um hotel na cidade paraibana. Ele chegou a procurar atendimento médico no hospital Antônio Targino (que aparece no documentário por ser o local de nascimento de Juliette) sentindo dores no braço e falta de ar, entre outros sintomas.

Após a quarentena forçada, o funcionário da Globo foi sido submetido a um novo exame, que não detectou a presença do vírus. Ele foi liberado para retornar ao trabalho, porém deixou a equipe do documentário e retornou à sede da emissora em São Paulo, onde já trabalha normalmente. Nesta semana, por exemplo, integrou a equipe de uma transmissão ao vivo com a repórter Rita Batista no Encontro.

Coincidentemente, o pai e os irmãos de Juliette contraíram a Covid-19 no mesmo período, como ela própria contou em seu Instagram. Eles participaram das filmagens, apurou a coluna, mas não puderam encontrar a campeã do BBB 21 em decorrência do coronavírus. Procurada pela coluna, a assessoria de Juliette esclareceu que os familiares da advogada não apresentaram sintomas e estão recuperados.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio