Globo Esporte pede desculpas por chamar torcida do Náutico de “Barbie”

Programa exibiu torcedores do Sport debochando de rival com apelido preconceituoso

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Globo Esporte Pernambuco aproveitou o Dia Internacional de Luta contra a LGBTfobia para pedir desculpas. Na última quinta-feira (13), exibiu dois torcedores do Sport chamando o time rival, Náutico, por um apelido homofóbico: “Barbie”. Sem mencionar o fato, a apresentadora Sabrina Rocha admitiu nesta segunda-feira (17) que o programa levou ao ar “expressões e gestos homofóbicos, inclusive na semana passada” e afirmou que a equipe não repetirá este ato discriminatório.

Uma bandeira com as cores do arco-íris, símbolo da comunidade LGBTQIA+, ilustrou o telão do estúdio na edição desta tarde, que voltou a falar sobre os áudios com falas homofóbicas de conselheiros do Sport contra a presença do ex-BBB Gilberto, torcedor fanático do Leão, na Ilha do Retiro. No último domingo, jogadores do clube entraram em campo “rebatizados” com o apelido de Gil, “do Vigor”, e dançaram o “tchaki tchaki” ao marcar o primeiro gol contra o Náutico, na primeira partida da final do Campeonato Pernambucano.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A ampla cobertura do caso irritou torcedores do Náutico, que se sentiram ofendidos com uma reportagem do Globo Esporte exibida um dia antes do vazamento dos áudios homofóbicos. O programa convidou torcedores dos finalistas do campeonato estadual para compararem os dois elencos. Um torcedor do Sport debochou do rival: “A Barbie vai continuar com 53 anos de fila sem ganhar do Sport na final”. Outro tirou sarro do Náutico segurando uma mochila da personagem feminina.

Como o material foi editado, a torcida do Náutico ficou na bronca com o Globo Esporte e acusou o programa de ofender o time de propósito. A raiva aumentou quando a atração se posicionou contra a homofobia sofrida por Gil do Vigor, porém se omitiu sobre o trecho preconceituoso ao Timbu exibido na mesma semana.

Pressionado pela torcedores do Náutico, o Globo Esporte se pronunciou de forma geral contra qualquer tipo de discriminação contra a comunidade LGBTQIA+. Confira o posicionamento lido por Sabrina Rocha:

“Sabe por quê esse selo colorido estava aqui durante todo o programa? É que hoje é o Dia Internacional de Combate à Homofobia. Homofobia é o desprezo, o preconceito à comunidade LGBTQIA+, que se manifesta pela violência física e também verbal, discriminatória. Será que em algum momento da sua vida você não agiu assim, de maneira consciente ou por achar que não é nada demais? Nesse tal ‘nada demais’ está o problema. Quem fala, quem faz, quem age assim machuca, e homofobia é crime. Passou da hora de a gente sentir essa dor também. A dor que sentiu o nosso querido Gil é para ser de todos. Quando eu ouvi o áudio do conselheiro do Sport na sexta-feira, me doeu muito. Eu lembrei a alegria de Gil ao receber a camisa do Sport, ao entrar no estádio, o orgulho dele. Eu estava lá! Como pode tanta alegria incomodar alguém? Quantos ‘Gils’ deixam de ir aos estádios por medo? Que esse ataque absurdo que Gil sofreu não seja em vão. Não só falando ao agressor, mas sobre a gente mesmo. Precisamos assumir que aqui mesmo no Globo Esporte expressões e gestos homofóbicos já foram ao ar sim, inclusive na semana passada. E aqui fica nosso pedido de desculpas e o nosso compromisso, nossa vigilância em não dar mais palco para isso, que incomoda a gente. Esse jornal é feito de gente! A diversidade se faz presente aqui também. Essa bandeira é nossa também! Vamos juntos então.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio